Após estreia com gol vestindo a camisa profissional da Macaca, centroavante Wilker, que não pode atuar pelo Paulista, não vê a hora de o Brasileirão começar

Crédito obrigatório para reprodução da foto:
PontePress/DJotaCarvalho

Na quarta-feira da semana passada, a Ponte Preta foi até Roraima e eliminou o Náutico-RR pelo placar de 4 a 1. Um dos gols da equipe foi do centroavante Wilker, de apenas 18 anos. O jogador formado na Base alvinegra agradou o técnico Vadão, que o trouxe para o profissional após observá-lo em um treinamento do qual ele participava com os jogadores do time a pedido do Departamento de Futebol. O atleta se mostra agradecido ao comandante pela oportunidade.

“Estou muito confiante. O professor tem me cobrado bastante, nos treinamentos tenho trabalhado para conseguir mais chances e graças a Deus, no meu primeiro jogo, saiu como o esperado. E depois do nervosismo daquela estreia, seja pelo Brasileirão ou pela Copa do Brasil vou continuar atuando com mais segurança e fazer mais gols pela Ponte Preta”, deseja o atacante.

Ele não esconde a ansiedade em voltar a atuar logo (o atleta não está inscrito no Campeonato Paulista e só poderá defender as cores da Ponte novamente pelas competições nacionais). “Seria bom se o Brasileirão começasse logo para eu poder disputar posição. Mas eu vou esperar esse tempo aí e na hora que eu tiver oportunidade, espero estar bem preparado”, afirma Wilker.

O jovem atleta já chamava atenção desde o SUB15 e os úmeros mostram um grande potencial a ser desenvolvido com a camisa da Macaca. Segundo informações registradas pela própria Federação Paulista de Futebol, em 2010 Wilker fez 25 partidas e 14 gols, em 2011, 13 partidas e 4 gols e em 2012, fez 30 jogos e 19 gols com a camisa alvinegra. Com esse retrospecto positivo, o jogador se sente mais maduro em ajudar a Ponte Preta.

“Me sinto melhor e mais preparado profissionalmente e psicologicamente também. Me sinto em casa. Estou tranquilo aqui, é um excelente ambiente para se trabalhar e vou fazer o meu melhor a cada dia que passa”, diz o atacante, que se diz grato pelo tratamento que tem recebido dos companheiros.

“Todos estão me ajudando bastante, até mesmo na partida lá em Roraima também. Graças a Deus é um grupo unido, um grupo fechado, e vou dar muitas alegrias a essa torcida”, promete Wilker.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS