Wendel reforça espírito de luta da equipe da Ponte e diz que grupo está focado em busca de mais uma vitória no Brasileirão

 

Foto: PontePress/FábioLeoni

A Ponte Preta segue sua preparação para enfrentar o Santos nesse sábado (5) e o volante Wendel destaca que o time está focado em pontuar o máximo que puder no Brasileirão. “Conseguimos os 45 pontos, não foi fácil, ninguém doou essa pontuação pra nós, mas sim nós corremos atrás disso. O campeonato ainda não acabou, ainda há 15 pontos a serem disputados e sabemos que nosso nome está em jogo, o nome da Ponte, essa camisa importante, com a tradição que tem o clube. Então temos que nos dedicar ao máximo e somar o maior número de pontos até o final”, diz o atleta, que espera um confronto difícil contra o time da Baixada.

 

“O Eduardo já nos alertou que o Santos, após a sua última vitória, vai brigar pelo título, caso ocorra um tropeço do Palmeiras. Vai ser um jogo difícil. O jogo contra ele no primeiro turno foi a minha estreia aqui. Eles fizeram uma excelente partida contra o atual líder. Perdem o Lucas Lima, mas o grupo é qualificado. Nos estamos vindo de duas derrotas, no meu ponto de vista, sem merecer. Contra o Sport poderíamos ter saído no mínimo com o empate. Agora é corrigir os erros. Dentro de casa somos fortes, com o apoio dos nosso torcedores. Nosso aproveitamento é muito grande aqui e esperamos vencer, como foi diante do Santa Cruz e do Vitória”, confia Wendel, que conta com a força da Nação Pontepretana.

 

“Torcedor, vá ao campo. Nos incentive, nos apóie, torça para sua equipe que escolheu desde pequeno, que você tem no coração. Até porque demonstramos diante do Santa Cruz e do Vitória, muita luta, em jogos interessantes. Contamos com esse apoio e que no final do jogo, com uma boa atuação nossa, o torcedor vá para casa satisfeito e feliz com a equipe”, afirma o meio-campista.

 

Wendel reforça que não apenas o Santos, mas toda a sequência que resta ao time é complicada. “Não tem jogo fácil. Algumas equipes na degola, outras brigando lá em cima. O Fluminense brigando pelo G6, assim como o Botafogo. Se entrarmos desligados, com o pé no freio, seremos derrotados e sabemos a importância que é esse clube, o Campeonato Brasileiro, até em termos de projeção para 2017. Estamos bem focados. O torcedor pode ter certeza que não tem ninguém de férias aqui e esperamos dar o máximo até o dia 4 de dezembro”, reforça o volante, que destaca o que tem de bom e de ruim em relação ao time até o momento.

 

“Ponto positivo para o nosso trabalho em casa e negativo para a nossa performance fora. Se tivéssemos tido mais duas vitórias como visitante, estaríamos com 51 pontos, brigando ainda mais pelo G6. É isso que o Eduardo vem batendo na tecla, que temos que melhorar nosso rendimento fora e isso não acontecendo é o que nos impossibilita de estar entre os seis melhores”, explica.

 

Já em termos individuais, o atleta mostra satisfação em estar na Ponte. “Estão sendo três meses corretos. De dedicação, onde pude ajudar em alguns jogos dentro e fora de campo, auxiliando em determinadas situações do elenco. Estou feliz e espero continuar crescendo, permanecer um longo tempo aqui na Ponte, até porque tenho um trabalho ainda por termina e se Deus quiser começar bem em 2017, pois esperamos coisas grandes para nós”, ressalta Wendel, que faz uma projeção da sua carreira.

 

“Eu já faço isso (liderar o grupo) desde os 11 ou 12 anos, quando iniciei nas categorias de base do Cruzeiro. É minha paixão, diria que é o que sei fazer de melhor. Não sou o cara que coloca o companheiro para baixo, mas que gosta de incentivar, às vezes orientar. O que procuro fazer no meu dia-a-dia não é nada forçado e muitos entendem e tomam isso como um aprendizado. Sou o “chato” do elenco, mas que procura que o companheiro melhore. Quem sabe após mais uns três anos eu possa ingressar nessa nova caminhada”, revela.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS