Wendel é apresentado, elogia a qualidade do elenco, comemora parceria com o técnico Eduardo Baptista e quer conquistar um lugar no coração da torcida da Ponte

Crédito obrigatório para reprodução:
Rodrigo Ceregatti/PontePress

 

Assim como Maicon, o volante Wendel foi apresentado oficialmente nesta terça-feira. Oficialmente, porque os torcedores já puderam ver o atleta em ação na partida contra o Santos na Vila Belmiro. Devido as baixas no elenco, a diretoria foi em busca de jogadores para preencher o elenco para a disputa do Brasileiro.

O atleta afirmou que a negociação com a Ponte não foi de agora. “Foi uma situação diferente. Mas quero deixar bem claro que não foi do dia para a noite que a Ponte me procurou, que a gente acertou o contrato. Teve um primeiro contato no início do campeonato, mas o Goiás não liberou na ocasião, até porque eu era o capitão da equipe, tínhamos acabado de ser campeões de Goiânia e apareceu a oportunidade novamente, já tinha trabalhado com o Eduardo, conheço a forma como ele gosta de trabalhar o sistema, já conhecia alguns companheiros aqui e a forma da partida e do sistema, foram dois anos assim no Sport e eu creio que na medida do possível eu procurei fazer aquilo que me foi solicitado”, explicou.

O volante avaliou como positiva sua estreia e que não sentiu falta de ritmo de jogo.

“De um modo geral, acredito que a equipe fez um bom jogo. Encaramos o Santos de igual pra igual na Vila, não é fácil, tivemos várias ocasiões. Então agora é conhecer mais o dia a dia, os companheiros, pra que a gente possa continuar nessa caminhada que está sendo bacana no Brasileiro. Eu vinha de uma sequencia boa. Já tinha feito mais de 25 jogos, tinha jogado no sábado pela minha antiga equipe. Ritmo de jogo não me faltou, estava tranquilo. É lógico que em uma situação diferente, que é a primeira vez que acontece isso na minha carreira. Mas é bom , porque a cada dia a gente vai aprendendo coisas novas e agora é dar sequencia aí pra ajudar os companheiros e o clube a chegar aí o mais longe possível  no Brasileiro”.

O elenco foi elogiado por Wendel que comentou sobre a concorrência pela vaga.

“Olha, tem a concorrência, eles são meus companheiros não meus adversários. Tem um grupo qualificado, vai jogar todo mundo, mesmo com os desfalques, quando você tem um elenco qualificado, o treinado tem mais opções para escalar a equipe. É um campeonato muito difícil e eu tenho certeza que com esse leque que o professor, a Ponte só tem a ganhar. A gente sabe que os companheiros da mesma posição são excelentes jogadores. A gente tem que trabalhar no dia a dia pra conquistar a confiança dos companheiros, do treinador, da torcida. E como eu disse, não são meus adversários, são meu companheiros. Acho que cada vez que um jogador consegue elevar seu nível, o outro acompanha, o outro busca também essa titularidade. Então é dessa forma que a gente tem que trabalhar. É bacana, é um grupo bom, o ambiente é interessante, então como eu disse é trabalhar com os pés no chão pra que a ponte possa fazer um excelente campeonato brasileiro”, explicou.

O objetivo de ajudar a Ponte no Campeonato é bem claro. Wendel falou sobre outro objetivo nessa passagem pela Ponte. “Então aqui, como eu disse, é trabalhar, me dedicar e tentar marcar também meu nome aqui, um lugarzinho no coração dos torcedores e do pessoal que acompanha o dia a dia da Ponte Preta”, finalizou. 

Notícias Recentes

NOTA DE ESCLARECIMENTO: IVAN

A Ponte Preta informa que, diferentemente do que foi divulgado pelo site Futebol Interior, a Ponte Preta possuí 100% dos direitos econômicos do goleiro Ivan e nem poderia ser diferente, uma vez que a FIFA não permite a transmissão

Leia mais »

REDES SOCIAIS