Vadão vê saldo positivo na primeira vitória fora de casa e na estreia do menino Junio, mas diz que time está longe do ideal

 

Crédito obrigatório para reprodução da foto:
PontePress/ThiagoToledo

A Ponte Preta conquistou a segunda vitória consecutiva no Campeonato Paulista, a primeira fora de casa, diante do Comercial nesta quarta (05). O treinador Vadão viu saldos positivos no jogo: a conquista dos três pontos (e o aspecto psicológico trazido pelo resultado) e a estreia do lateral direito Junio, menino de apenas 16 anos que acaba de subir das categorias de Base. No entanto, Vadão enfatizou que a equipe está muito distante do ideal e não apresentou um bom futebol ontem, em especial na primeira etapa.

 

“O nosso primeiro tempo foi irreconhecível, não marcamos. Nossa marcação estaca errada e isso obrigou nossos atacantes Silvinho e Ademir a atuarem praticamente como laterais. Estávamos sonolentos e desatentos. No segundo tempo melhoramos, ainda não foi o ideal, temos que agrupar mais, reter a bola. Às vezes César e Sacoman pegam na bola e a gente não se apresenta, eles são obrigados a chutar, não saímos com a bola no chão. Quando saímos com ela no chão temos qualidade”, pontua.

 

O técnico salienta que na segunda etapa houve evolução em relação à primeira, mas que é preciso ir além. “Tivemos uma melhora boa em relação ao início, mas não estou satisfeito pela maneira que atuamos. Não podemos nos dar ao luxo de jogar 45 minutos como esses primeiros que nós fizemos contra o São Paulo, que tem jogadores de muito mais qualidade. Reforço que fiquei satisfeito pela melhora, nos cinco minutos do segundo tempo chutamos três vezes a gol, mudamos de postura, ainda longe do que queremos no plano tático, mas melhorou bastante. Que sirva de lição.”

 

O comandante da Macaca ressalva, no entanto, a importância de iniciar uma sequência de resultados positivos na competição. “O futebol é muito analisado pelo lado técnico e tático, mas o emocional é o que comanda tudo. Você pode ter o melhor time do mundo, mas o equilíbrio, a personalidade e o espírito de equipe fazem a diferença. Com duas vitórias seguidas podemos ir batendo nessa tecla e reforçando cada vez mais esse lado mais sólido da equipe”, diz.

 

Ele registra ainda elogios ao jovem Junio. “Me chamou muita atenção. O colocamos na lateral direita para que o Ferrugem fortalecesse o meio campo, porque o time estava desgastado. Fizemos  um treino só para co9nhecê-lo e ele entrou com desenvoltura, com personalidade. Para mim o grande saldo positivo além dos três pontos foi esse menino, ganhamos um jogador da base neste momento difícil em que temos vários atletas lesionados”

 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS