Com o pensamento voltado para o Santos, Vadão fala sobre a derrota da Macaca diante do Mogi Mirim e ressalva: não é possível fazer cobranças baseadas nesta partida

Crédito obrigatório para reprodução da foto:
PontePress/DJotaCarvalho

A Ponte Preta encerrou sua participação na primeira fase do Campeonato Paulista 2014 com derrota para o Mogi Mirim. O resultado de 4 a 0 não alterou em nada a classificação da Macaca para as quartas de final da competição, que já estava garantida, e – apesar do placar ruim para o time pontepretano – o treinador Vadão viu aspectos positivos na partida.

 

“O Mogi aproveitou muito bem as chances, mas, apesar do resultado, nós tivemos o domínio do jogo. Sofremos um gol muito cedo e a partir dos 10, 15 minutos começamos a dominar e a criarmos chances, mas não conseguimos empatar. No segundo tempo voltamos melhor, com bastante volume, mas eles foram felizes nos contra ataques e acabaram liquidando”, diz Vadão.

 

O comandante da Macaca considera que não pode avaliar o desempenho dos jogadores baseado apenas neste jogo. “O resultado foi desastroso, mas não é possível fazer uma avaliação individual uma vez que o coletivo pecou e entraram em uma situação muito adversa. Não tínhamos o entrosamento necessário para se fazer uma cobrança”, diz.

 

O treinador reforça que a Ponte optou em escalar um time alternativo para esta rodada para ter força total contra o Santos na quarta. “Fui eu quem tomou a decisão por essa escalação e a responsabilidade é toda minha. Não dava para colocar os jogadores titulares e pendurados e arriscar de perde-los para as quartas de final”, afirma Vadão.

 

O técnico comanda na tarde desta segunda o primeiro treino do elenco titular para o jogo de quarta. “Nosso único foco agora é a partida na Vila Belmiro. Vamos lutar com todas as nossas forças para conquistar a vaga na semifinal”, conclui.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS