Total Sul Americana: Conmebol determina que Ponte Preta designe um outro estádio para a segunda semi contra o São Paulo

Depois de muito esforço e dedicação para chegar às semifinais de uma competição internacional, um time deveria ter no mínimo o direito de jogar em seus domínios. Mas o adversário – por razões particulares – fez um questionamento técnico da regra, em relação à capacidade do Majestoso e, mesmo com dois jogos anteriores tendo sido permitidos no estádio pontepretano, a Conmebol atendeu ao pedido do São Paulo e solicitou nesta manhã de segunda (18) que a Ponte Preta designe um outro estádio para a partida de volta contra a equipe paulistana.

“Estamos avaliando junto à Federação Paulista de Futebol quais outros estádios têm de maneira inquestionável não só a capacidade como também a liberação para 20 mil pessoas e então definiremos onde será. Se o São Paulo não tivesse questionado, o jogo seria aqui normalmente.É lamentável que um tricampeão mundial tenha chegado a este ponto:uma atitude mesquinha, picuinha. Em vez de se preocupar com futebol, está se preocupando com capacidade de estádio, alegando que aqui é maltratado. Ninguém ganha com isso. Nosso estádio já estava preparado e aqui a Polícia garante a segurança em grandes eventos, tem o know how para isso. É uma tristeza também para a cidade de Campinas, que poderia receber uma semifinal de Sul Americana e foi cerceada desse direito”, diz o presidente pontepretano Márcio Della Volpe.

Della Volpe conta que o São Paulo chegou a produzir um dossiê contrário ao estádio da Macaca. “São mais ou menos 100 páginas detonando o Majestoso, o que é no mínimo curioso, sabendo que eles jogaram aqui no Paulista e no Brasileiro sem nunca apontar um problema, sendo que Deportivo e Vélez jogaram aqui e o delegado da Sul-Americana elogiou muito o Moisés Lucarelli, as condições, o tratamento”, afirma.

O presidente alvinegro rechaça as alegações de “falta de segurança” utilizadas pela equipe da capital reforçando que mudar o jogo é que irá aumentar os riscos envolvendo o confronto entre as equipes. “Agora sim a insegurança está instalada: vamos colocar 20 mil torcedores na estrada e vai ser aquela complicação, pois nossa torcida estará raivosa por não jogar em casa Infelizmente isso tem sido comum na vida do São Paulo. Eles brigam tanto com outros times que parecem gostar disso.”
O dirigente alvinegro reforça que a Ponte tomou todas as medidas possíveis para manter o jogo no Majestoso e espera anunciar o novo palco da semifinal definitiva até o final desta semana. 

“Queremos agora que a própria FPF e a CBF oficializem de maneira clara a capacidade do estádio que iremos escolher, pois chegou até nós a informação de que o time da capital já estaria questionando a capacidade do estádio do Mogi, que é uma das opções, demonstrando mais uma vez sua clara intenção de prejudicar o adversário fora do gramado”, finaliza.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS