Relacionados pro jogo contra Lusa, zagueiro Tiago Alves diz que é hora de entrar no G4 e atacante Miguel quer ser um ídolo na Macaca

Crédito obrigatório para a reprodução da foto:
PontePress/Letícia Baptista

Um deles é mais maduro e já passou pela Ponte Preta em 2012, ano em que ajudou a manter o time na série A. O outro é um jovem jogador que revela conhecer a história da Macaca e sonha em ser ídolo do time. O zagueiro Tiago Alves e o atacante Miguel mal chegaram e já estão relacionados para o jogo desta noite e, apesar das diferenças, têm em comum o objetivo de fazer bonito e ajudar o time a voltar para a série A, de preferência como campeã do Brasileiro da série B.

“Esperamos entrar com força nesta retomada da competição após a Copa e entrar no G4 pra não sair mais, agora é a hora certa.  Queremos voltar com força total e buscar o título”, diz Tiago. O jogador relembra a boa passagem que teve na Macaca há dois anos, na qual deixou as portas abertas, e espera mais uma vez mostrar seu melhor com a camisa alvinegra

“Fiz um bom trabalho e por isso fui chamado a retornar. E é importante dizer que cumpri meu contrato, pois quando o palmeiras se interessou por mim tinha cláusula de multa e tudo foi feito corretamente, paguei a multa e deixei porta aberta. A todo momento sabia que poderia voltar e isso aconteceu agora, temos grupo bom e um projeto para a série B que se Deus quiser vamos alcançar, de garantir vaga na elite e sermos campeões.”

O atleta conta ainda que está mais maduro do que era em sua primeira passagem pelo time. “Quando joguei pelo Mogi teve uma passagem vitoriosa sob o comando do Dado, fomos semifinalistas eliminados nos penais. Vim pra cá, onde fiz um bom trabalho, e depois fui pro Palmeiras, onde sofri algumas lesões, tive alguns problemas, mas foi uma passagem positiva e um aprendizado muito bom, com outra proporção, outra cobrança. Isso me trouxe uma maturidade ainda maior como atleta e pessoa. Chego mais preparado do que da primeira vez que estive aqui”, garante.

Miguel: sei que a torcida da Ponte às vezes prefere carrinho à caneta e dedicação não vai faltar

Do alto de seu 1m91 de altura, o atacante Miguel não esconde que sonha também alto na Ponte Preta. “Conheço a história e a tradição da Ponte, ano passado quase ganhamos a Sul Americana, falta um titulo de expressão, mas quem sabe neste ano? Sei o que esta camisa representa não só para a região, mas para o Brasil inteiro e  vim aqui para mostrar meu futebol, dar um salto na minha carreira: não vim aqui para ser mais um, quero ser um ídolo na Ponte”, revela.

O jovem atleta elenca alguns dos grandes jogadores e centroavantes de destaque que sabe terem sido revelados na Macaca – Washington, Dicá, Luís Fabiano, William, Roger – e afirma que quer ser um deles. “A Ponte revelou grandes e espero ter mesmo sucesso. Sei que pra torcida da Ponte um carrinho às vezes vale mais do que uma caneta e prometo essa entrega, esse comprometimento dentro de campo. Sei que é o que a torcida espera e não vou esquecer a qualidade, mas vontade não vai faltar”, afirma ele, acrescentando que é fã de Washington Coração Valente.

Com carreira vitoriosa na base palmeirense e passagem pela seleção brasileira amadora, o jogador atuou apenas uma partida pelo time profissional do Palmeiras – na qual balançou as redes em São José do Rio Preto na vitória que fez o time ultrapassar o Santos no topo da tabela do Paulista – antes de seguir para a Coréia do Sul, onde passou a maior parte do ano passado. “Venho de uma base vitoriosa e espero repetir isso no futebol profissional ou até fazer melhor. Sei que aqui tenho que ter mais maturidade e experiência , no ano passado estive na Coréia do Sul, aprendi bastante e espero estar pronto para jogar e me firmar aqui. Meu empréstimo até dezembro, mas quero muito mostrar meu futebol, ficar aqui e ter uma bela carreira na Ponte Preta”, finaliza.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS