Segunda votação do Projeto de Lei pró-Arena será nesta segunda (27): torcedor pontepretano, compareça à Câmara de Vereadores e apóie a aprovação de nossa nova casa

 

Crédito obrigatório para reprodução da imagem: PontePress/Daniel Ribeiro

 

A Câmara Municipal de Vereadores de Campinas vai realizar nesta segunda-feira (27) a segunda votação do projeto de lei pró-Arena Ponte Preta que julgará o mérito da questão. A sessão terá início às 18 horas, inicialmente com a tribuna aberta, período no qual os vereadores que quiserem podem abordar quaisquer assuntos de interesse. As votações propriamente ditas devem se iniciar por volta das 19 horas. O projeto de lei, de autoria do prefeito Jonas Donizete, altera os termos da lei de 1975 que fez a doação do terreno do Jardim Eulina – onde hoje se encontra o Centro de Treinamentos da Ponte Preta – à instituição alvinegra. O projeto reforça que os termos foram cumpridos e faz no texto as mudanças necessárias para permitir que no local seja construída o Complexo Arena Multiuso da Macaca.

Na última segunda-feira (20) o projeto foi aprovado por unanimidade em primeira votação, que se referia à legalidade da lei. Além de terem votado a favor, todos os vereadores elogiaram a transparência com a qual todo o processo vem sendo conduzido e a maioria esmagadora dos edis fez uso da palavra para manifestar publicamente apoio ao projeto.  “Trata-se de uma lei positiva, pois a Arena trará inúmeros benefícios para a cidade, promoverá crescimento daquela região e do turismo da cidade, dará mais força à Ponte Preta e fará com que esse time da nossa cidade seja olhado com ainda mais respeito”, pontuou o vereador Arthur Orsi.

O torcedor pontepretano que quiser pode comparecer à Câmara Municipal no dia da votação para apoiar a aprovação do projeto, que será mais um importante passo rumo à construção da Arena Ponte Preta. Vale lembrar que para se tornar lei o projeto, além de já ter sido aprovado em primeira votação referente ao mérito, deverá passar por esta segunda que julga o mérito. A partir daí, volta para ser sancionado pelo prefeito e tornar-se lei.

Dentro da administração municipal, o projeto será analisado por diversas comissões de diferentes secretarias – como urbanismo e meio ambiente, por exemplo – que verificarão se ele atende às leis e necessidades da cidade, e poderão inclusive determinar contra-partidas necessárias para os parceiros. Findo todo este processo, as obras podem se iniciar.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS