Acaba se tornando uma expectativa maior. A gente não conhece o adversário. A gente tem algumas informações que é um time difícil, joga com três zagueiros, o campo lá não é muito bom. Mas a gente tem que estar preparado para todas as situações, nós somos profissionais e a gente vai lá para fazer o resultado. Vai ser um jogo difícil, mas vamos procurar para fazer o nosso melhor e conseguir o resultado. 
 
Eu vou procurar como sempre fiz nas oportunidades que eu tive. Vou dar o meu melhor, dar a minha vida para que a gente possa fazer um grande jogo, para que eu possa fazer um grande jogo. E o mais importante que a gente consiga jogar bem, dar ritmo para esses jogadores que não tem atuado com frequência. E fazer um bom jogo e se possível conseguir fazer o resultado lá.
 
Nós somos profissionais. A competição que nós entramos, nós procuramos fazer o nosso melhor. O Guto optou por levar os que não estão jogando com frequência, até mesmo para dar um descanso, que a gente vem de uma sequência difícil, o campo molhado, pesado, jogo difícil contra o Botafogo, então vai ser até bom para o pessoal que vem jogando direto ter um descanso para continuar no mesmo nível no Paulista. E por ele escalar quem não vem jogando com frequência nos passa a confiança que o treinador tem no nosso trabalho. Que a gente possa ir lá e conseguir o resultado. Todo mundo quer fazer a vitória, passar de fase, quer jogar, quer o melhor e a vitória é sempre bom. 
 
Nós procuramos sempre ter essa opção de definir no primeiro jogo. A gente sabe que vai ser um jogo difícil. A gente treina junto, mas você jogar é complicado, tem a questão do ritmo, do ritmo de jogo. Então é dentro de campo que a gente vai procurar corrigir com bastante comunicação e alguns detalhes vai ser decidido no campo. É claro que quando o Guto já optou por fazer essa opção aí da gente que não vem jogando, ele já vem treinando bastante essa equipe, e por isso acho que não vai ser dificuldade pra gente o entrosamento. 
 
Eu acho que tem total condições de estar focado nas duas competições. Já tive oportunidade disso na minha carreira quando disputamos Campeonato Paulista e Copa do Brasil e fomos campeões dos dois. A gente tem um elenco grande, um elenco bom que pode fazer o que estamos fazendo agora, enquanto dá um descanso para o pessoal que vem jogando no Paulista e quem não vem tem condições de ir lá e dar conta do recado. 
 
É difícil falar. Eu vou procurar render o melhor, dar o meu melhor. Para sempre que o Guto precisar eu estar a disposição dele. É difícil você falar assim porque o pessoal está bem e tomara que continue assim, é bom para a Ponte, é bom para nós. É uma briga sadia. Eu vou procurar fazer o meu melhor e a hora que o Guto tenha que optar por mim ou por outro zagueiro eu esteja em melhores condições para ajudar a Ponte Preta. 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS