Sábado (7) tem treino aberto à torcida, à qual Lucca quer dar alegria no dérbi: “Domingo marcante”

Foto:PontePress/ÁlvaroJr

O dérbi 203 vai ser no campo do adversário, com torcida única, mas a Maior do Interior poderá dar aquele apoio e energia positiva ao elenco pontepretano neste sábado (7): a partir das 9 horas, a Macaca faz o último treino antes do clássico com os portões do Majestoso abertos aos torcedores alvinegros. E se alguém tem dúvida da importância da torcida, basta perguntar ao artilheiro Lucca o quanto essa energia é contagiante.

“Meus filhos, principalmente o meu menino, que é pequeno mas gosta muito de futebol, sabe o hino e sabe os gritos da torcida. Isso é muito legal. E vê-los felizes é gratificante”, diz o atacante que, por sinal, após a vitória contra o Brusque ficou no campo “defendendo” pênaltis cobrados pelos pequenos Laura e Luquinha.

Ele acrescenta que esse clima positivo, inclusive familiar, é muito importante. “Se você está num lugar em que se sente bem, em que as pessoas do clube gostam de você, é um caminho que pode colher muitos bons frutos. Eu vim para cá com esse intuito de estar num lugar que eu me sinta bem, que minha família gosta, isso foi o fator fundamental para eu vir. Gosto muito de vestir a camisa da Ponte Preta, nem sei explicar ao certo o porquê, eu me sinto muito bem com ela”, afirma.

E, no que depender do atacante, tanto ele quanto a família e a torcida se sentirão ainda melhor no domingo. “Que seja o de domingo mais marcante, que a gente possa vencer, para ser um domingo de Dia das Mães ainda mais especial para a gente. Creio que vai ser um clássico difícil e duro, como sempre. Para jogar um dérbi a motivação tem que estar sempre aflorada  e estou muito feliz pelo momento que a gente vive, por tudo que a gente vem construindo, eu vejo a evolução e isso me deixa contente. Que a gente consiga os três pontos e no domingo, depois das 18 horas, a gente vê quem vai comemorar ou não”, destaca.

O camisa 10 termina falando sobre o bom momento dele, dividindo a fase com os colegas de elenco. Além de ser o goleador da Ponte na temporada, com oito gols em 15 jogos, o camisa 10 da Macaca começou a Série B de forma positiva. Ele é o artilheiro com dois gols, é o atleta do elenco que mais finaliza, com média de 3,5 por jogo, que mais acerta chutes (1,3) e dá mais passes decisivos (1,8).

“Creio que não tem nenhum gol meu que eu possa ter feito em uma jogada tão individual. Sempre preciso de todo mundo e, sem dúvida nenhuma, se eu não tivesse meus companheiros para fazer os gols, eu não conseguiria. Até porque o futebol hoje está muito coletivo, dinâmico, todo mundo precisa de todo mundo. Eu prefiro dar mérito para todo o nosso time”, conclui.

 

 

 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS