Macaca está pronta pra enfrentar o Inter e Roger quer balançar as redes mais uma vez, com vitória diante da torcida alvinegra

 

Foto:PontePress/RodrigoCeregatti

A Ponte Preta está concentrada e pronta para enfrentar o Internacional, na manhã deste domingo (24), em busca de reabilitação imediata após o revés contra o Santos na última rodada. Autor do gol da Macaca na Vila Belmiro, o atacante Roger se confessa mais tranquilo agora que “desencantou”, mas obviamente quer mais: o jogador quer balançar as redes agora no Majestoso e com uma vitória pontepretana.

“O gol trouxe um sentimento de alivio, é  algo que eu vinha buscando e tinha começado a ansiedade. Claro que a gente não ficou feliz com a derrota, da forma como foi, mas pessoalmente falando, talvez traga mais confiança, traga um pouco mais de alegria pra voltar a fazer os gols e quem sabe, sonhar com a titularidade de novo, sonhar com a artilharia, pois é isso que a gente veio buscar”, pontua.

Roger revela que o apoio que têm de todos é fundamental para engrenar novamente em campo e fazer mais gols. “Quando você não marca questiona como está a parte física, se é do atleta, se é o time, se é o sistema, se são as movimentações que você faz que estão erradas… enfim, você começa a questionar. Até porque cerca de dois meses atrás eu vinha de uma sequência de 15 jogos e 11 gols. Porém sempre tive a confiança do Eduardo, da comissão, da diretoria, todos dizendo que eu estava no caminho certo, treinando, batalhando, buscando. E agora com certeza a fase nova, boa e alegre, está chegando.”

O atacante reforça que está dando duro em busca de uma vaga entre os onze que iniciarão o jogo com armadura alvinegra amanhã. “Estamos trabalhando, tem uma chance. A gente sabe  que tem o Wellington Paulista que também está procurando esse lugar, ainda falta o Eduardo definir, mas se eu precisar jogar vou muito mais confiante, mais alegre e com a certeza de que agora sai o gol diante da nossa torcida”, diz.

Na opinião do atleta a disputa entre ele, WP9 e Pottker no elenco é muito positiva. “É uma concorrência justa, igual, somos três caras que trabalham muito, dois mais experientes e um mais jovem, talvez com características diferentes, mas todos com o mesmo objetivo de fazer uma Ponte forte, fazer os gols pra equipe, ajudar na marcação quando for preciso. E é uma disputa muita limpa, muito justa: quem joga sempre tem o apoio dos dois que estão de fora. Claro que todo mundo quer ser titular, mas nós temos o apoio uns dos outros”, esclarece.

Em relação ao jogo deste final de semana, Roger destaca que a Ponte vinha de cinco resultados bons antes do placar negativo no Litoral. “Então não é uma derrota que tenha mostrado o que agente faz ou deixa de fazer. Esse campeonato é difícil, é muito longo, jogos duros, com 20 equipes niveladas, e a gente está no caminho certo. Agora é ir e fazer um bom jogo contra o Inter. Respeitando, já que a gente sabe que o Inter é uma grande equipe, tem grandes jogadores. Eles passam por um momento ruim, mas não é aqui que vão se reabilitar: tenho certeza que no domingo a gente vai fazer outro grande jogo e vencer diante da nossa torcida”, pontua.

Por sinal, todo o elenco está consciente de que a sequência negativa do Internacional não é razão para subestimar o adversário. Pelo contrário. “A gente tem tido atenção em tudo, inclusive o (técnico) Eduardo passou vários vídeos. A gente trata cada jogo com todo o foco, então não é o Inter, não foi o Santos, não foi o São Paulo aqui. Todos os jogos a gente trata com muito respeito, mas temos é que tirar proveito dessa fase ruim do Inter e não o contrário. Não é sempre que o Inter vem de sete resultados negativos e nós estamos em nossa casa: temos que  fazer um jogo muito forte, marcar forte e vencer”, ressalta.

O atleta diz ainda que a meta do elenco é fechar o primeiro turno do Brasileiro no G4. “Com certeza a gente tem esse sonho, esse objetivo. Temos agora confrontos diretos na tabela, bem próximos, tirando o Coritiba que é o último jogo, talvez os outros três todos muito perto. O objetivo é conquistar, quem sabe, dez pontos nesses quatro últimos jogos e cravar um G4, para que a nossa torcida também possa ter um pouco mais de confiança, um pouco mais de otimismo, encher o estádio, enfim, voltar aquela confiança do nosso torcedor.”

Roger finaliza refutando a tese de alguns analistas esportivos que acreditam que jogar com três volantes o prejudicaria, porque na teoria a bola chegaria menos na frente. “Imagina! Pelo contrário, ajuda. Esse sistema melhorou muito porque de certa forma os dois volantes que jogam ali não são volantes, hoje eles são meias, então time ficou muito mais forte na marcação e a gente, sempre que rouba a bola, tem um contra ataque, tem a bola do gol, como foi o meu gol contra o Santos. Com certeza a gente se encaixou muito bem nesse sistema aí e com certeza é esse esquema que vai nos levar a fazer um grande campeonato”, conclui.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS