Macaca faz na tarde desta sexta o último treino antes de enfrentar o Audax e Roberto enfatiza: não podemos perder na atitude

Crédito obrigatório para reprodução da foto:
PontePress/DJotaCarvalho

A Ponte Preta faz às 16h30 desta sexta, no Majestoso, o último treino antes de enfrentar o Audax neste sábado, no próprio estádio. O goleiro Roberto enfatiza que, independentemente do pouco tempo de preparo e da falta de entrosamento, o time terá que mostrar garra em campo. “Contra o Botafogo deixamos a desejar principalmente porque perdemos no futebol e na pegada. O que me deixou preocupado é que eles nos superaram na atitude. Às vezes o outro time tem mais qualidade, mas você consegue o resultado lutando com ímpeto, com pegada, e isso faltou. Falamos no vestiário e eu ressaltei isso ao grupo: podemos até perder no futebol, mas a força,  a garra não pode faltar, no mínimo precisamos igualar a do adversário”, diz.

O Camisa 1 acredita que o confronto em Ribeirão foi importante como lição ao novo elenco alvinegro. “Claro que ter estreado com uma vitória seria interessantíssimo. Mas de certa maneira foi bom no sentido em que aquela partida foi um exemplo do que não podemos fazer no campeonato em hipótese alguma, foi muito abaixo. Se fizermos isso mais uma vez na competição o torcedor vai cobrar muito e estará correto, porque a falta de pegada foi muito ruim. Estou certo que nos próximos jogos o time vai entrosar mais, mas temos que melhorar de atitude já amanhã, em casa, diante do nosso torcedor”, reforça.

Em relação às diferenças de esquema tático, Roberto diz que são os jogadores que precisam se adaptar ao que o técnico pede e precisa. “Há uma nova postura tática e precisamos pegar um pouco mais para fazer o esquema funcionar. No jogo passado usamos muita ligação direta, lançamento, demorou demais para sair de trás e chegar compacto, isso dificultou funcionalidade do esquema tático. Não era pra ter acontecido. Mas não sou adepto de nenhum esquema, não defendo esse ou aquele, quem determina é o técnico e as peças é que têm que fazer funcionar”, acredita.

Ele fala ainda sobre a ausência de atletas em algumas posições do elenco. “Sabemos que falta um pouco de entrosamento e também algumas peças, e acredito que na hora em que vierem vamos encaixar a equipe melhor, mas temos que procurar nos virar enquanto estamos assim para que as coisas aconteçam ainda de maneira mais fácil depois”, opina.

O arqueiro também comenta o lance do gol do time de Ribeirão. Muita gente que inclusive elogiou as três brilhantes defesas que ele fez durante a partida chegou a questionar se ele não teria falhado no lance em que o Botafogo abriu o placar, ao ter rebatido a bola em vez de segurá-la. “O jogador deles surgiu cara a cara comigo e o que pude fazer foi dar um tapa na bola. Olhando de fora pode parecer que aquele lance era mais fácil, mas do jeito que a bola veio, ela mudou a trajetória em cima de mim e tive que mudar a direção do meu corpo e jogar para o lado. Foi o que consegui fazer naquele momento.”

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS