Diante de dez mil torcedores, CR7 troca camisas com o capitão pontepretano Roberto; vestimenta da Seleção Portuguesa será leiloada em prol de instituição de caridade

 

Crédito obrigatório para reprodução da foto:
PontePress/MarcosRibolli

“Cristiano Ronaldo, na derrota ou na vitória estamos com você”. Os dizeres expostos em um cartaz segurado por um grupo de meninas que pulava sem parar nas arquibancadas do Majestoso nesta quarta (18) resumia o espírito dos dez mil torcedores que foram ao estádio nesta manhã, não apenas para levar força ao ídolo como a todos os demais jogadores da Seleção Portuguesa, recebidos com aplausos e desejos de uma vitória contra os Estados Unidos e pronta recuperação na Copa. E apesar da festa ter sido tão grande quanto a do primeiro treino, houve grandes diferenças neste segundo, a começar pela presença do ídolo alvinegro Roberto.

Em um gesto de agradecimento à Ponte Preta, os portugueses convidaram o capitão da Macaca para ir a campo e, diante da mídia e expectadores presentes, CR7 e o Camisa 1 trocaram as camisas de Portugal e Ponte Preta. “Para mim foi um grande prazer revê-lo e uma honra receber esta camisa que, com certeza, todos no estádio queriam. O que me deixa mais feliz é que, por iniciativa da Ponte, ela será leiloada e o dinheiro arrecadado irá para uma instituição social, para ajudar gente que precisa”, diz Roberto. A Ponte Preta irá anunciar futuramente em seu site oficial como será feito o leilão e qual instituição (ou instituições) serão beneficiadas.

Muita gente presente no estádio desconhecia que Roberto já conhecia Cristiano Ronaldo, da época em que defendeu o Moreirense de Portugal. Lá o arqueiro pontepretano era chamado pelo apelido de “Tigrão” e viu, do banco, o hoje melhor do mundo fazer sua estreia como profissional e balançar as redes pela primeira vez. “Muita gente inclusive acha que fui eu a primeira vítima, mas naquele jogo estava no banco, só assumi a titularidade duas partidas depois. O primeiro dele foi um golaço e ainda marcou mais um depois”, conta.

O goleiro relembra um episódio curioso que viveu após a partida  – realizada em 7 de outubro de 2002 com vitória por 3 a 0 do Sporting – quando, ao chegar no hotel, um português disse que não se conformava de o Moreirense ter perdido porque aquele garoto Ronaldo “não jogava nada”. “Disse a ele que estava enganado, o menino era bom de bola e tinha futuro. O senhor respondeu: ‘ você também não entende nada de bola, vamos ver no futuro quem está certo’. Realmente nós vimos”, de diverte o camisa 1.

 Além de Roberto em campo, também foram estendidas faixas no gramado não só com agradecimento a Campinas como também à Ponte Preta. Mais uma vez, os atletas jogaram sob aplausos e gritos de guerra da torcida presente e, ao final da atividade, jogaram diversas camisas da Seleção para os presentes. Este foi o último treino aberto da Seleção Portuguesa no Majestoso e o time segue atuando no CT pontepretano. O próximo compromisso dos portugueses é neste domingo (22), contra os EUA, na Arena Amazônia.

 

Notícias Recentes

NOTA DE ESCLARECIMENTO: IVAN

A Ponte Preta informa que, diferentemente do que foi divulgado pelo site Futebol Interior, a Ponte Preta possuí 100% dos direitos econômicos do goleiro Ivan e nem poderia ser diferente, uma vez que a FIFA não permite a transmissão

Leia mais »

REDES SOCIAIS