Preparador Físico da Ponte, Luis Fernando Goulart explica trabalho que é realizado com os atletas nessa pré-temporada

 

Foto: PontePress

Se tem um profissional que o elenco de todo clube de futebol mais vê em pré-temporada é o preparador físico. É baseado no trabalho realizado por ele, nesse início de preparação, que se constrói a base para todo ano. Na Ponte, os cuidados desse processo ficam por conta de Luis Fernando Goulart, que explica sua metodologia em um grupo heterogêneo, como é de um time de futebol.

 

“Vamos procurar individualizar. Dentro lógico de um trabalho tático, técnico, mas focado na preparação física nós procuramos atingir o propósito de cada um. Os atletas que estão vindo de fora nós iremos conhecê-los, e ver como cada um responde os estímulos de treino, e os atletas que já estão aqui sabemos o que fazer ao longo da semana e as cargas de trabalho a serem realizadas. Vamos procurar deixar todos na melhor condição possível”, conta Luis Fernando, que acrescenta.

 

“Os atletas, como em toda reapresentação, alguns chegam com uma condição física melhor e outros um pouco mais abaixo. Realizamos as avaliações de força, cardiológica e agora, em cima dos testes, vamos ter uma noção melhor de cada um deles”, avalia.

 

Luis Fernando pondera que há muito trabalho a ser feito antes do início do Campeonato Paulista, no dia 5 de fevereiro. “Dentro do futebol se fala muito em 100%, mas há muitas capacidades físicas juntas. Então não tem como atingir o 100%, porque são muitas manifestações, de velocidade, força e resistência. Mas vai dar para chegar em uma condição muito boa e claro evoluir ao longo do ano, para sustentar uma boa performance na temporada”, confia o preparador, que faz uma análise dos treinos físicos.

 

“Hoje os trabalhos são muito complexos. Se utiliza a parte técnica, os trabalhos com bola para adquirir um condicionamento e não só o treino físico isolado. Apenas alguns treinos de força são isolados, não tendo a parte envolvendo a bola. Mas os demais exercícios envolvem a parte técnica, com alguns pontos de parte tática, desenvolvidos pelo Felipe Moreira. Fazemos um trabalho complexo, para que se consiga otimizar a condição física de cada um”, avalia.

 

Além do seu conhecimento, Luis usou o período de férias para conhecer trabalhos de colegas na Europa. “Tive essa oportunidade no Real Madrid, no Atlético de Madrid e no Bayern de Munique. Ví algumas coisas interessantes. Cada um tem a sua metodologia. Cada preparador que eu acompanhei lá tem suas particularidades, alguns trabalhos interessantes que eu acompanhei e que poderei utilizar aqui ao longo do ano”, conta.

 

Por fim, Luis Fernando destaca o que faz a Ponte ser um dos times com menos lesões ao longo do ano. “É devido aos profissionais que temos aqui, como o Norberto, fisiologista, o Caio Gilli, preparador físico, o Lucas Benchimol, que era o preparador físico anterior a mim, a Mirtes Stancanelli, que era nossa nutricionista, e agora está entrando a Márcia na função. São todos profissionais competentes, que buscam otimizar o trabalho no dia a dia, entre você dar a intensidade da carga e o trabalho de recuperação, porque são muitos jogos e tem desgastes emocionais, de viagem e físicos. Se conseguir equalizar, e a Ponte vem fazendo isso nos últimos anos, conseguimos prevenir e tentar o máximo evitar as lesões. Em qualquer modalidade esportiva de alto nível vão ocorrer lesões e nossa luta  e grande objetivo é tentar evitá-las e também que o time tenha uma performance boa nas competições”, completa.

Notícias Recentes

NOTA DE ESCLARECIMENTO: IVAN

A Ponte Preta informa que, diferentemente do que foi divulgado pelo site Futebol Interior, a Ponte Preta possuí 100% dos direitos econômicos do goleiro Ivan e nem poderia ser diferente, uma vez que a FIFA não permite a transmissão

Leia mais »

REDES SOCIAIS