Ponte vence jogo treino por 3 a 0: Carpegiani vê pontos positivos no elenco e afirma que time está em bom caminho, mas ainda está um pouco longe do que ele quer

Técnico gostou bastante do segundo tempo da atividade e reforçou que é preciso fazer correções pontuais em todos os setores

 
A Ponte Preta fez no final da manhã de hoje o primeiro teste sob o comando do técnico Paulo Sérgio Carpegiani e venceu por 3 a 0 o Grêmio Osasco em jogo-treino, com gols de Ramirez e Éverton Santos (dois). Na opinião do treinador, o time mostrou que tem qualidades, mas ainda precisa –e irá – melhorar para transformar em realidade o potencial que o treinador enxerga e considera necessário.
 
"Fizemos dois tempos bem distintos: um de trinta minutos, depois descansamos cinco e voltamos. Os últimos 30 foram bem melhores. É preciso dizer que não é um jogo e sim um jogo-treino, então é um pouco diferente o que acontece em campo. O primeiro tempo foi normal e o segundo me agradou. Falei para os jogadores sobre todos os aspectos temos que melhorar. Estamos em um bom caminho, uma equipe competitiva, que se impõe, busca o gol, tivemos controle e o domínio do jogo, mas estamos um pouquinho longe do que eu quero, ainda que eu realmente tenha gostado do segundo tempo", diz.
 
O treinador ressalta que há características excelentes no elenco, mas é preciso evoluir. "Há uma parte positiva, gosto de um futebol forte, seguro, que toma iniciativa de jogo, com a marcação correta. De posse da bola nossa equipe tem velocidade, estamos marcando bem e existe contra-ataque. Então há ingredientes e pontos fortes que a equipe tem, mas é preciso fazer correções na parte defensiva, a virada de jogo está lenta. Os setores de meio têm que encaixar melhor e na frente tem que haver retorno com mais compactação, enfim, todos os setores precisam melhorar", afirma.
 
O treinador afirma que, ainda mais com as saídas de Cicinho e Cléber (os contratos ainda não foram assinados, razão pela qual as negociações ainda não foram dadas como concluídas oficialmente), haverá chegada de novos jogadores. "A direção está bem consciente e tem me informado de tudo. O futebol brasileiro é assim, quando alguém cobre multas ou faz propostas equivalentes a elas leva o jogador. Cada um tem o seu preço e pagamos o preço, uns saem outros chegam, mas a direção está consciente do que nós necessitamos e a torcida pode ficar tranqüila porque pedimos reforços e eles vão chegar", garante.
 
Dois tempos
 
O jogo-treino começou às 11h45 desta quinta e a Ponte entrou em campo com Roberto, Regis, Ferron, Sacoman, Uendel, Baraka, Magal, Ramirez, Chiquinho, Rildo e William, sendo que Carpegiani no meio do tempo tirou Baraka e Régis para a entrada de Paulo Roberto e Artur.
 
"O Baraka sentiu um pouco a perna. Já o Régis estava com problemas dentários e não participou de todos os treinos, então é natural que também tenha sentido um pouco, mas vamos dar um tempo. Estamos correndo contra ele (o tempo), então primeiro vamos fazer o mais óbvio possível para depois surgirem oportunidades para fazermos mais", diz o treinador, que afirma ter gostado tanto de Paulo quanto de Régis, jogadores que até o momento não tiveram grandes oportunidades.
 
O gol da Macaca na primeira etapa surgiu de uma bela jogada de Chiquinho pela direita. A bola chegou aos pés de Ramirez e o peruano balançou as redes do Osasco. Na segunda etapa, a Ponte entrou com Édson Bastos, Artur (Régis), César, Gustavo e Rodrigo Biro; Xaves, Fernando, Adrianinho e Everton Santos; Alemão e Giovanni. Everton marcou os dois gols que fecharam o placar.
 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS