Ponte treina no Pacaembu e Renato Cajá lembra confronto naquele estádio quando a Macaca eliminou o Corinthians nas quartas: temos que fazer igual contra o Santos

 

Foto:PontePress/ThiagoToledo

A Ponte Preta treina neste domingo (8) no estádio do Pacaembu, onde enfrentará amanhã à noite o Santos, em jogo que define quem ficará com a vaga para as semifinais do Paulista. Curiosamente, em 22 de abril de 2012, tendo Gilson Kleina como treinador e Renato Cajá no elenco, a Macaca também disputou as quartas de final no mesmo Pacaembu e eliminou o Corinthians, garantindo a classificação para a fase seguinte.

“Me lembro bem daquele jogo e estar no Pacaembu me traz essas memórias de uma classificação na qual pegamos o time comandado pelo Tite, hoje técnico da seleção, um Corinthians muito forte na época. Agora o adversário é o Santos e vamos fazer de tudo pra sair daqui com a vaga, estamos com foco e determinação pra isso”, diz o camisa 10 alvinegro.

Para o meia, ainda que o adversário e a época seja outra, a uma lição que a Macaca pode trazer do passado para a partida desta segunda-feira. “Na época fizemos grande jogo aqui e precisamos manter mesma consciência tática que tivemos então, para ter um bom resultado como o daquela ocasião”, diz Cajá.

Ele enfatiza que a Macaca precisa mostrar em campo “a mesma força e marcação” que teve em 2012. “Na época colocamos o Guilherme marcando Sheik, o Uendel marcando do outro lado, tínhamos uma saída boa e lembro que saímos na frente com gol do Magrão, depois teve gol do Roger e do Pimpão. Neste ano nós temos time veloz e que marca forte, espero que saiamos do Pacaembu da mesma forma: com a vaga garantida”, torce.

Cajá faz questão de ressaltar que não acredita em qualquer tipo de “predestinação” pelas coincidências de local e pessoas das partidas que têm entre si quase cinco anos de intervalo. “Não acredito nessa história de destino. Não é porque o Santos trocou a Vila pelo Pacaembu que isso significa alguma coisa. O importante é esta partida, é nos focarmos e nos empenharmos nela, pois cada jogo é um jogo e depende de nós buscarmos e estarmos determinados a fazer uma grande partida e irmos pras semifinais.”

Por outro lado, o jogador acredita, e muito, que a Ponte tem condições de ir à semifinal e além. “Por que não acreditar? Já chegamos em finais antes, por que não chegarmos de novo neste ano? Temos grandes expectativas para 2017 e se nos focarmos e nos dedicarmos, as coisas podem acontecer”, garante.

O camisa 10 finaliza falando sobre a felicidade de mais uma vez jogar pela Macaca – esta é a quarta passagem de Cajá pela alvinegra. “Estou feliz demais por ter voltado a um clube pelo qual tenho grande alegria em jogar, em estar aqui. Sempre fui bem acolhido e sempre joguei bem com esta camisa. Estou acostumado à cidade e é importante estar com a família e se sentir bem pra fazer um bom trabalho”, conclui.

 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS