Ponte treina nesta tarde e William destaca: temos que fazer bom resultado em Bragança e depois pensar no Penapolense

Artilheiro da Copa do Brasil em 2011, goleador da Macaca espera ter bom desempenho neste ano

A Ponte Preta treina na tarde desta terça, no Estádio Moisés Lucarelli, e foca todos os esforços para arrancar um bom resultado em Bragança Paulista na noite de quinta. No último confronto entre as equipes, na rodada derradeira da primeira fase do Paulistão, o resultado foi um empate sem gols. Desta vez, a expectativa é conseguir um resultado mais positivo.

 

“A semifinal do Interior  ainda está na cabeça de todo mundo, o Linense foi um jogo complicado, mas conseguimos vencer e vamos enfrentar o Penapolense nas finais. Mas antes temos que pensar na Copa do Brasil. O Bragantino é um adversário difícil, mas queremos ir até lá e conquistar um bom placar para ficarmos mais tranquilos”, diz.

Artilheiro da Macaca com 11 gols até o momento no Paulistão, o jogador conta que espera ter um bom desempenho na Copa do Brasil, na qual já foi o maior goleador dois anos atrás. “Na Copa de 2011 terminei como artilheiro da competição ao lado do Alexsandro, do Vasco.  A Copa do Brasil é uma competição na qual você vai conquistando jogo após jogo. No Avaí,  quando vimos estávamos na semifinal. Então vamos comer pelas beiradas que a gente chega lá”, acredita.

William revela que gostou da experiência de jogar com Alemão, mas enfatiza que quem define a melhor situação para a Ponte é o técnico Guto Ferreira. “Fizemos mais tabelas, é importante poder contar com jogadores que se aproximam de maneira inteligente”, diz.

Sobre a disputa do título do Interior, o camisa 9 diz que a Macaca precisa se concentrar para conquistar a taça. “Temos que respeitar o Penapolense porque resultado se faz dentro do campo e ele não chegou à toa entre os oito melhores na primeira fase, o São Paulo por pouco não perdeu pra eles. Precisamos fazer o nosso melhor e dar tudo nas finais”, pontua.

William destaca que, do Interior ou não, uma vez que o título pode ser da Ponte os jogadores têm que trazê-lo para Campinas. “Pode até ter torcedor que diga que não vale nada e que se ganharmos o título não faremos mais do que a obrigação, mas se perdermos também vão dizer que o time não presta e não vai aguentar o Brasileiro. Nosso pensamento, porém, tem que ser de vitória e pronto: futebol é resultado, não importa contra quem seja.”

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS