Ponte treina nesta tarde e, garantida nas oitavas da Total Sul Americana, foca atenções para reabilitação no Brasileiro: Betão quer recuperação já no sábado(31)

 

 

 

 

 

 

Se na última terça-feira (27) o elenco alvinegro deu alegrias ao torcedor por se classificar para as oitavas de final da Copa Total Sul-Americana, no Campeonato Brasileiro existe a preocupação da reabilitação da equipe. Após uma sequência negativa na competição, o comando técnico foi trocado e o time – que treina nesta tarde no Majestoso – busca diante do Grêmio às 18h30 deste sábado volta por cima no campeonato nacional. Para o zagueiro Betão, o jogo na Arena Grêmio será difícil e a Ponte precisa ter total atenção.

 

“O Grêmio não precisa de muita explicação: é uma equipe que todos sabem a qualidade dos jogadores que tem. Eu acredito que lá eles venham a campo para definir logo. Com pressão mesmo, pois é o estilo deles ter um jogo duro e forte. A torcida também vai querer muito e cabe a nós, jogadores da Ponte, evitar esse sufoco inicial e tentar administrar na medida do possível”, afirma o zagueiro.

 

Ele enfatiza que, mesmo fora de casa, a Macaca necessita pontuar. “Temos que ter posse de bola e tentar sair com a vitória. Longe do Majestoso ou não, no Campeonato Brasileiro não tem como escolher o jogo que você vai vencer ou empatar. Temos que buscar vencer em qualquer estádio e equipe. Essa é a realidade da Ponte hoje: só a vitória interessa”, afirma o atleta.

 

Betão também faz questão de salientar a importância de ter conseguido a classificação para as oitavas de final da Copa Total Sul Americana e que isso traz um combustível a mais para o grupo. “Temos que pensar jogo a jogo. Sabemos que é um torneio diferente, mas eu acredito que um jogo puxa o outro. Uma classificação para a Ponte em um torneio continental já motiva automaticamente o grupo contra o Grêmio”, ressalta Betão, que considera importante ter diferentes tipos de comportamento nas partidas.

 

“Nosso último jogo não foi de encher os olhos, mas é o que tenho frisado com os jogadores aqui: De repente não é todo jogo que tem que jogar na empolgação. Às vezes futebol se ganha na inteligência e nós ganhamos do Criciúma assim. Fico muito feliz em fazer parte da história da Ponte Preta”, completa.

 

(Crédito obrigatório para reprodução da foto: PontePress/GuilhermeDorigatti)

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS