Ponte treina nesta quinta (8) e Pottker fala sobre a disputa pela artilharia no Brasileiro

 

Foto: PontePress/FábioLeoni

A equipe da Ponte Preta realiza mais um treinamento nessa quinta-feira (8), como preparação ao jogo contra o Coritiba/PR nesse domingo (11). E quem está ansioso por esse confronto é o atacante Pottker. Isso porque o jogador briga pela artilharia do Campeonato Brasileiro, onde soma 13 gols na competição, um a menos que Fred, do Atlético Mineiro, que não jogará por conta do cancelamento da partida contra a Chapecoense/SC.

 

“É uma coisa única. Todo atleta profissional sonha em disputar um Campeonato Brasileiro primeiramente. E artilharia é conseqüência do trabalho que vai desempenhar ao longo da carreira. Eu sonhei com isso muitas noites e hoje estou podendo viver essa situação”, conta Pottker, que não queria que 2016 terminasse.  

 

“Fiquei triste com a fatalidade que aconteceu com a Chapecoense, mas antes disso eu não queria que o ano acabasse. Mas sim continuar vivendo isso aqui na Ponte. Aproveitar o máximo possível, porque sei que virão momentos ruins e tenho que estar preparados para isso também. Tenho que aproveitar e agradecer a Deus esse momento ao lado dos meus companheiros, em vestir esse manto, porque é uma oportunidade única e podem ter certeza que vou dar meu máximo domingo, para alcançar essa artilharia. Vai ser histórico para a Ponte e para mim, porque é muito difícil disputar uma artilharia. Vou me esforçar o máximo possível”, reforça o jogador.

 

A briga pela artilharia, porém, não vai ser simples. Isso porque nessa disputa, apesar de Fred e Robinho não atuarem na rodada, tem ainda Grafite, Diego Souza e Gabriel Jesus. “É uma alegria imensa. Para mim é muito gratificante saber que cheguei no nível desses caras, que são grandes jogadores e referências para o futebol de hoje. Minha família ainda não acredita nisso, mas eu particularmente acredito, porque trabalhei muito para estar aqui. Fico triste pelo Fred não estar em campo, porque o jogo do Atlético não vai ocorrer. Perde um pouco a graça saber que ele não estará jogando e talvez perca a artilharia porque não atuou. Fico triste por esse lado, mas tenho que fazer o meu trabalho, que é gols e ajudar a Ponte Preta”, ressalta Pottker, que confessa estar vivendo um sonho.

 

Já sobre a mudança no comando técnico da Macaca, com a saída de Eduardo Baptista e a entrada de Felipe Moreira, Pottker faz elogios aos dois treinadores. “O professor Eduardo fez por onde receber as propostas que ele diz ter em mãos. Fez um grande trabalho na Ponte Preta. Foi muito justo também com a Ponte, por estar recebendo proposta e resolver sair e foi justo conosco e com o Felipe, que é um excelente profissional. Trabalhou comigo seis meses e me ajudou muito nesse meu processo de evolução. Tenho certeza que o Eduardo vai fazer a melhor escolha para a carreira dele e o professor Felipe vai dar seqüência. Acredito que não vai mudar muito, porque são jovens, técnicos atualizados e nossa equipe vai continuar com o mesmo rendimento e talvez até melhor”, confia o atacante, que elogia a parte tática do novo técnico, assim como a tranquilidade que passa aos jogadores.

 

Pottker acrescenta. “O Felipe sempre esteve no meio dos jogadores. Conversa, incentiva e orienta muito bem. Hoje ele é o nosso comandante e o respeito vai continuar do mesmo jeito. Temos que seguir  com a mesma postura”, completa.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS