Ponte treina na tarde desta quarta-feira (11) e Felipe Azevedo mostra confiança em trabalho do técnico Eduardo Baptista, que o treinou no Sport-PE por três anos

 

Foto: PontePress/FabioLeoni

 

A equipe da Ponte Preta treina na tarde desta quarta-feira (11), no Moisés Lucarelli e Felipe Azevedo, responsável pelo gol da Macaca em Rondônia, onde a Alvinegra venceu o Genus por 1 a 0, tem perspectivas positivas sobre a sequência da temporada. Para o meia, a chegada do técnico Eduardo Baptista é interessante nesse processo de evolução.

 

“Eu creio que vamos melhorar o que aconteceu no início do ano. Todos sabem que não queríamos fazer um Campeonato Paulista como o que fizemos. Eu tinha muitas projeções sobre o campeonato, porque eu fiquei muitos anos sem disputá-lo. Mas não estou preocupado. Eu tenho certeza que o professor Eduardo vai dar uma cara nova para a equipe e vai começar nesta quinta”, afirma Felipe, que conhece bem o trabalho do novo comandante.

 

“Trabalhei com o Eduardo no Sport por três anos. Ele era preparador físico e quando o Geninho saiu na época, ele assumiu como interino. A equipe foi bem, ele foi efetivado e ficamos mais um ano e meio lá”, revela o jogador.

 

Felipe ressalta o conhecimento que viu no atual comandante. “Lá no Sport ele surpreendeu muito a todos. O Eduardo também tem a influencia do pai, Nelsinho Baptista, que é uma escola tremenda. Chegou com uma ideia especifica de trabalho. Ele estudou muito para isso e quando surgiu a oportunidade ele foi muito bem”, ressalta.

 

Sobre o fato de ter a confiança de todos os técnicos que passaram pelo clube, desde sua chegada, Felipe acredita que é muito por conta de suas características. “Eu sou um cara que não consigo, ao ver um companheiro em uma situação difícil, não voltar e ajudar. Até o pessoal que joga nas laterais brinca e fala que é bom jogar comigo porque ajudo a marcar. Tento ajudar o sistema pelo lado direito e os treinadores que passaram aqui viram isso, e me colocam como titular também por essa característica”, explica o atleta, que mostra respeito ao Genus, adversário de amanhã no Majestoso.

 

“Vai ser difícil. Todo mundo concentrado, sabendo que vai ser o jogo da vida deles. A visibilidade é muito grande. Estão jogando contra uma equipe da Série A e de São Paulo. Lá também foi bem difícil. Eles marcaram muito, com o tempo todo em marcação individual. Não conseguimos marcar o segundo gol, mas é fazer o resultado em casa, para ganhar confiança e para domingo atuar bem mais uma vez”, completa.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS