Ponte treina na manhã desta terça (2); Wendel avalia elenco de forma positiva, acredita em melhora diante do Botafogo e fala de relação com velho conhecido Abuda, novo companheiro de clube

 

Foto: PontePress/IsraelOliveira

 

A Ponte realiza mais um treinamento na manhã desta terça-feira (2), visando a preparação para o confronto de quinta-feira (4), contra o Botafogo. O volante Wendel acredita que, apesar do revés diante do Fluminense, a equipe pode fazer uma grande apresentação diante do outro rival carioca.

 

“Nossa equipe joga para frente. Em momento algum o Eduardo irá solicitar que os onze defendam e tenham a primeira preocupação em não tomar gol. Nossa equipe é corajosa. Nós marcamos o Fluminense no campo do adversário e isso às vezes acaba fazendo com que tomemos gols. Mas é corrigir os erros que cometemos e procurar fazer a partida que fizemos diante do Figueirense, contra o Botafogo”, confia o jogador, que analisa o time de forma positiva, mesmo diante de dificuldades.

 

“Temos uma equipe qualificada e equilibrada. Todos sabem a dificuldade que é em lidar com lances que são apitados em favor de outras equipes e isso nos deixa chateados. Mas em momento algum nos abalamos e o time continua correndo e se dedicando. Muito se diz que nosso esquema é com três volantes, mas nos últimos jogos fizemos vários gols. Criamos várias ocasiões. Somos uma equipe rápida e esse equilíbrio temos que buscar no dia a dia, com os treinamentos e o Eduardo podendo passar para nós o que temos que fazer contra os próximos adversários. É assim que voltaremos a trilhar um caminho interessante nesse Brasileiro”, afirma o atleta.

 

Wendel destaca que o torcedor tem o direito de cobrar um melhor futebol da Macaca, mas diz que grupo está focado em evoluir. “Temos que ter o cuidado em analisar a partida em um contexto geral. O torcedor fica chateado quando se ganha de 5 a 0 no meio da semana e perde de 3 a 0 dias depois. Eles tem razão de cobrar, exigir mais de nós jogadores, mas sabemos onde podemos chegar, o que temos que corrigir e vamos trabalhar para isso, para que diante do Botafogo possamos somar três pontos, chegando há 27 e indo para a última partida, podendo chegar há 30 pontos, que é uma pontuação no meu entendimento interessante, para um 1º turno de Campeonato Brasileiro”, analisa.

 

Reencontro com Abuda

 

Wendel e Abuda, que foi apresentado nessa segunda, são velhos conhecidos. Os dois atuaram juntos pelo Vasco da Gama em 2012 e na época, a nova contratação da Macaca estava no início de carreira. Passando por dificuldades em se firmar no elenco cruzmaltino, Wendel, titular do time deu uma ajuda ao concorrente pela posição.

 

“Era o penúltimo jogo do Campeonato Brasileiro de 2012. Ele já estava praticamente fora dos planos para o ano seguinte e como o Vasco na ocasião não disputava nada dentro da competição, ficaria entre 5º e 7º lugar. Eu diria que com minha experiência, eu criei uma situação de solicitar uma substituição, já que ele era o único volante que tinha na ocasião, para entrar na partida contra o Coritiba. O jogo estava 2 a 1 ao nosso favor e faltando 30 minutos, eu poderia continuar perfeitamente, não tinha cartão, falei que estava cansado, com uma dor no pé e que tinha que sair, até porque via o trabalho do Abuda no dia a dia. Era um menino bacana, que até então não tinha oportunidade”, revela Wendel, que complementa.

 

“Isso passou pela minha cabeça e o Abuda entrou no meu lugar, roubou três ou quatro bola e renovou contrato para o ano seguinte. Ganhou muitos elogios no dia e eu fiquei muito satisfeito por ter ajudado e proporcionado, quem sabe, o surgimento do Abuda no futebol brasileiro. E é bom que voltamos a nos encontrar e espero que ele tenha sucesso e que nos ajude nessa caminhada”.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS