Ponte treina na manhã desta quarta (1) e Roger, que deve fazer diante do América-MG sua 120ª partida com a camisa da Macaca, mostra confiança em pontuar fora de casa

 

Foto: PontePress/FábioLeoni

 

A Ponte Preta faz seu último treinamento, na manhã desta quarta-feira (1), em Campinas, antes de viajar para Belo Horizonte, onde enfrenta o América Mineiro nessa quinta-feira (2). Ainda com o gosto da derrota da partida passada contra o Flamengo, Roger já queria que a partida tivesse sido jogada, para tentar pontuar novamente pelo Brasileiro.

 

“Nós queríamos que o próximo jogo já tivesse sido na segunda. A derrota fere, mas nós sabemos que a equipe produziu, se doou bastante. É uma derrota que ela foi sentida, mas já absorvemos, já passou e é pensar no América”, afirma o jogador, que ao entrar em campo diante dos mineiros, fará sua partida de número 120 com a camisa alvinegra. E o jogador mostra que a cada dia que passa a vontade de render melhor só cresce.

 

“É diferente quando a gente vem jogar no time do coração. Estou ficando mais velho e mais intenso. Estou mais perto do final e estou aproveitando todos os dias como se fosse o último”, revela o atacante, que pela Ponte balançou a rede 36 vezes como profissional.

 

E por falar em gol, o atleta ainda não fez o seu nesse seu retorno ao clube, mas mostra confiança no trabalho. “Criamos algumas oportunidades contra o Flamengo. O Wellington fez o gol e é um jogador que consegue criar jogas pelas beiradas com qualidade. Claro que gostaríamos de ter vencido, de estar fazendo os gols e a partir do momento que não vem as vitórias começam a nos questionar. Mas sabemos que foi uma boa movimentação, um bom jogo, a derrota trouxe tristeza, mas sabemos que estamos no caminho certo”, afirma Roger, que só pensa na vitória amanhã.

 

“O América é um concorrente direto na tabela. Precisamos vencê-lo para deixar ele um pouco mais distante. Não tem como esconder que os dois times fazem um campeonato de permanência, um pouco mais difícil do que os outros, até por conta de investimento. Mas acredito que temos chances de conseguir um grande resultado lá em Minas”, ressalta o centroavante.

 

Roger acrescenta valorizando o trabalho de Eduardo Baptista, comandante da Macaca. “Eu acho que o Eduardo é um treinador de ponta, que já conquistou como preparador e vai conquistar como técnico. É m cara estudado, que sabe ler futebol, menos teórico, mais prático e fala a língua que gostamos de ouvir. É um cara parceiro e tenho certeza que vai fazer um grande trabalho aqui na Ponte”, completa.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS