Ponte Preta enfrenta o Fluminense na manhã deste domingo; Eduardo Baptista comemora opções na escalação da equipe e destaca a força e qualidade do elenco

Crédito obrigatório para reprodução:
PontePress/Daniel Ribeiro

A Ponte Preta o Fluminense às 11 horas deste domingo (31) pela décima sétima rodada do Campeonato Brasileiro de Futebol, no estádio Giulie Coutonho (também chamado de Edson Passos), em Mesquita, no Rio de Janeiro. Ocupando a oitava posição na tabela,  com 24 pontos, a equipe pode se aproximar do G4 com uma vitória. A Macaca vem de goleada no meio da semana pela Copa do Brasil. Em uma grande exibição o time goleou o Figueirense por 5 a 0 com dois gols de Galhardo, um de Grolli, um de Matheus Jesus e outro de Roger.

Com a moral e a confiança lá em cima, o técnico Eduardo Baptista comemora as opções que possui para escalar a equipe. “Vamos tentar escolher o melhor momento de cada jogador para escalar. O Pottker deu o encaixe que a gente precisava, veio o Roger e o substituiu bem. A gente vai escolher em cima das características do Fluminense, nosso adversário. Quem eu escolher não vou errar, porque os dois vivem um bom momento. É a dúvida boa", diz.

O treinador ressalta que a equipe tem ganho bons reforços em algumas posições e isso, na Série A, é muito importante pela quantidade de jogos. “Nós temos bons volantes, por exemplo, uns mais defensivos, outros ofensivos. Mas todos eles com uma qualidade técnica e leitura tática muito boa. E estamos aguardando ainda o Abuda, o próprio Elton que precisa de mais ritmo de jogo. Isso é essencial em um campeonato longo e difícil. E agora passamos para as oitavas da Copa do Brasil, Quanto mais jogadores em condição de serem titulares, melhor para a Ponte”, ressalta.  

O comandante alvinegro explica como manter o mesmo nível de todo o elenco. “A gente trabalha o dia a dia. O trabalho com a equipe que não jogou é o mesmo. Para dar o mesmo conceito para todos. Igualamos a parte física para trocarmos bem. Rodou quase um time com a gente e não deixamos perder o nível. Mantivemos as boas atuações. Ninguém quer ficar de fora. Ninguém quer dar espaço por causa dessa disputa sadia e a qualidade dos jogadores. Tem o fator adversário que vamos estudar antes de escolhermos a equipe. Hoje é até difícil escalar a Ponte Preta, pois graças a Deeus temos boas opções”, enfatiza.

Eduardo acredita que o tamanho reduzido do campo em Mesquita, placo do jogo de logo mais, tem um lado bom e um ruim. “O gramado não está muito ruim pelo que me passaram. É um campo pequeno. Enfrentar o Fluminense em um campo para duas mil pessoas é estranho. Vai ter a dificuldade para as duas equipes. A falta de programação do Campeonato Brasileiro é complicado. Vamos tentar tirar proveito do campo menor. O Fluminense gosta de ter a posse de bola para jogar, isso pode facilitar para nós. Mas também tem a pressão do torcedor que fica mais próximo do campo”, finaliza.

A partida desta manhã tem transmissão pelas rádios esportivas de Campinas – FM 99,1 e AMs 870 e 1170.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS