Ponte Preta enfrenta o Atlético-MG nesta manhã de domingo e Kleina quer pontuar na casa do adversário

Crédito obrigatório: PontePress/FabioLeoni


 

Daqui algumas horas a Macaca entra em campo pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro para enfrentar a equipe do Atlético Mineiro no Estádio Independência. A Ponte Preta tem três pontos conquistados – uma vitória contra o Sport em casa e a derrota para o Botafogo no último domingo – e quer vencer a partida marcada para começar às 11 horas. O técnico Gilson Kleina não confirma como o time atuará no setor ofensivo, mas já antecipa que terá novidades entre os titulares que iniciarão a partida, caso do volante Wendel.

“Nessa semana em que fizemos a intertemporada em Itu testamos várias opções e variantes no ataque. Já a entrada do Wendel é pelo desgaste do Jadson, um jogador que vinha fazendo uma função importante, e com o Wendel a equipe ganha equilíbrio no início e término da jogada. É um jogador experiente, entra mais na área, tem uma leitura muito boa do jogo”, diz o treinador, que ressalta a importância da Intertemporada realizada em Itu para a sequência do Brasileirão 2017.

“Nosso intuito era ter uma semana que nós pudéssemos nos conhecer mais, implementar a nossa filosofia de trabalho. Vários jogadores chegaram e foi importante a gente conversar sobre Ponte Preta, as metas no Brasileiro, importante a gente saber da nossa realidade e responsabilidade. A nossa equipe está passando por uma reconstrução no ataque e forma de jogar. É um grupo de trabalho espetacular, os jogadores estão assimilando, trabalhando forte. A gente sabe que o Brasileiro é longo, normalmente já concentra e fica longe da família, mas todos entenderam a necessidade dessa semana de treinos que fizemos para termos um campeonato forte e seguro.”

Kleina destaca a proximidade com o elenco durante os dias que antecederam a partida de hoje. “ Eu pude trabalhar outras situações de jogo, explorar mais as características dos jogadores. Além disso, os jogadores que estavam em recuperação, em transição, a gente pode acelerar o processo e aos que vinham jogando, fazer outros tipos de trabalho também. Acho que isso foi muito bem monitorado e, claro, que você passa a ter mais intimidade: todos juntos no café, almoço e jantar, acaba treino e a gente está mais próximo de conversar com o jogador, saber a trajetória dele e extrair algo mais”, explica.

O treinador conta que também lembrou os atletas que o início do Campeonato mostra muito pelo que as equipes irão brigar, por isso é importante largar bem. “A gente conversa que vamos ter uma decisão a cada jogo. Se a gente pegar três jogos, tem que pensar que neles temos uma pontuação máxima, média e mínima. Se não atingir essa mínima, de quatro pontos, a gente já sabe que Campeonato vamos disputar. Se fizer isso estaremos no meio da tabela e abaixo disso é ruim. Claro que se fizer nove, seis pontos, a gente briga na ponta da tabela. Então é bom o atleta visualizar isso. A gente sabe que o Campeonato Brasileiro é muito equilibrado e o início do campeonato é muito importante para nós. Executando essa pontuação nós vamos fazer um bom campeonato”.

Também na Intertemporada, Kleina teve a chance de seguir de perto a preparação de atletas como Renato Cajá e Emerson Sheik. “O Cajá espero para o jogo contra o São Paulo. Esse alinhamento que ele precisou ter foi importante e agora vai precisar de uma sequência de jogos. Também acredito que o Sheik estreia contra o São Paulo, conversei com ele e nós temos uma situação pensando em trabalhar ele por dentro. Mas ele ainda, com a força que tem, rende muito vindo de fora pra dentro, então vamos necessitar, sim, de um homem de área. O Yuri é um garoto que tem seu potencial, mas ainda precisa pegar mais maturidade, principalmente no Brasileiro pela dificuldade e equilíbrio”, pontua.

O treinador fala ainda sobre o recém-chegado Negueba “Parece que já está há um ano aqui. É um menino muito carismático. Depois que saiu do Coritiba ele não veio muito bem, mas graças a Deus na minha mão lá ele rendeu, tanto é que o Grêmio comprou ele. Ele faz um lado direito, um jogador por dentro, produz muito, rendeu muito. Se você der uma função para ele, ele faz isso como ninguém. O recurso dele é muito grande: é rápido, dribla, finaliza. Mas ficou um mês afastado no último clube, perdeu tônus muscular, perdeu força. Então vai recuperar aos poucos e precisa voltar a ser aquele menino alegre, insinuante dentro de campo. A torcida da Ponte gosta disso e ele tem uma característica de se doar. “

O único desfalque para a partida de logo mais em relação à rodada passada é o volante Fernando Bob, que está em recuperação por dores musculares. Apesar de na mira do São Paulo – que pode levar o atleta em negociação com o Internacional-RS, a quem ele pertence – o jogador cumpre no momento contrato com a Ponte, até porque não existiu ainda nenhuma comunicação oficial do Inter à Macaca. Contudo, não jogará por estar no DM e o técnico Gilson Kleina conta que já falou com o jogador sobre a situação do momento.

“Nós chamamos o Bob e conversamos com ele: não tem problema o jogador ser assediado, é fruto do trabalho dele no primeiro semestre que foi muito competente. Eu só quero o foco do jogador. Quando começa a envolver negociação, o jogador – querendo ou não – acaba o treino e ele quer saber o que está acontecendo, como esta a situação. A gente sabe que a equipe da Ponte tem que estar concentrada e mobilizada para o nível de atuação estar alto. Ele disse que essa semana os representantes dele devem definir. Temos que ter o desfecho o mais rápido possível para que, caso ele fique, possamos ter o atleta focado aqui dentro e, se não ficar, não contarmos mais com ele”, diz.

Quem não estiver em Minas Gerais hoje poderá acompanhar Atkético-MG x Ponte Preta pelo Premiere FC. Também é possível ouvir a transmissão da partida pelas rádios FM 99,1, AM 1170 ou 870, e webrádios Alberto César, Macacada Reunida e PonteNews. 

 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS