É hoje! Pelas quartas de final do Paulistão, Ponte encara Santos na Vila e apesar do favoritismo do time da casa, confia em fazer grande jogo e Vadão afirma: como os 300 de Esparta, vamos com 700 para a baixada

Crédito obrigatório para reprodução da foto:
PontePress/VictorHafner

O desafio da Ponte Preta na noite desta quarta (26) não será fácil. A equipe campineira enfrenta o Santos, time de melhor campanha no Campeonato Paulista, em jogo único pelas quartas de final da competição. Em caso de empate a decisão será nos pênaltis. O jogo será disputado a partir das 19h30, na Vila Belmiro, em Santos. Para este confronto a Ponte tem a volta de grande parte do time titular, que foi poupado diante do Mogi-Mirim na 15ª Rodada. Diego Sacoman, que estava suspenso no fim de semana, também volta a estar à disposição do treinador da Macaca, que explica o planejamento do time para enfrentar o Santos.

“Está tudo preparado. Temos que pensar que não é por ser um jogo único que temos que pilhar demais. Temos que dar uma motivação no ponto ideal e eu sei o quanto é difícil aprontar isso, quando estamos em desvantagem. Trabalhamos a semana toda marcação, desmarcação, em campo reduzido. Trabalhamos 10 dias e fizemos o rachão ontem para dar uma quebra. Se faz necessário e são estudos que mostram que o time não pode cair no marasmo, na rotina, pois os atletas ficam presos no hotel e só pensam no jogo, o que traz um estresse extra. E nós não podemos ter nada extra. Já temos o Santos para nos estressar”, explica Vadão.

O treinador também fez uma análise do rival desta quarta-feira e das dificuldades que acredita que irá encontrar. “O Santos marca muito em pressão e temos que trabalhar em campo reduzido. Eles jogam de uma forma parecida com a nossa, a diferença é que eles flutuam muito, não ficam fixos, têm uma mobilidade grande no ataque e criam toda essa dificuldade. Então é atenção total na marcação para que eles não se movimentem no espaço vazio”, diz o treinador.

Outro fator fundamental, segundo o técnico, será a presença do torcedor pontepretano. E ele cita um filme, para falar da invasão da nação alvinegra, que teve 700 ingressos à disposição, logo mais na Vila Belmiro “Vocês já assistiram aquele filme “300”? Eu diria os 700 ou quantos conseguirem ir. Nossa torcida é nossa força, vai e apoiará o nosso time”, completa Vadão.

O torcedor que não puder ir até a Vila Belmiro, pode acompanhar o jogo pelas rádios esportivas de Campinas (FM99,1, AM 870, 1170 e 1270) e a web rádio Macacada Reunida (www.macacadareunida.net) . Também haverá transmissão do SporTV e relato completo do jogo aqui no site oficial, após o apito final.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS