Ponte enfrenta Cruzeiro nesse sábado (7), no Mineirão, e Eduardo Baptista diz que grupo está consciente do que deve ser feito para melhorar no Brasileiro

 

Foto: PontePress/FábioLeoni

Por conta de ser uma data Fifa, não haverá rodada do Campeonato Brasileiro nesse final de semana. Com exceção de um jogo: Cruzeiro x Ponte Preta. As equipes se enfrentam nesse sábado (7), às 16 horas, no Mineirão, em Belo Horizonte/MG, em partida válida pela 28ª Rodada da competição, que foi antecipada por conta de show do cantor Paul McCartney no dia 17 de outubro. O técnico Eduardo Baptista comentou sobre o fato.

 

“Pelo tempo de trabalho que nós temos, eu preferiria estes dez dias para treinar. Acho que seria muito mais útil para nós. Mas tivemos tempo suficiente para recuperar, vamos fazer o jogo contra o Cruzeiro e depois contra o Santos ganhamos uma semana, que vai ser importante também”, afirma o treinador, que quer ver time jogando ainda melhor do que em relação à última partida, em que a Macaca venceu o Flamengo por 1 a 0.

 

“Conseguimos passar algumas coisas, que servem de correção do que foi feito contra o Flamengo. Colocamos mais alguns conceitos e o tempo é sempre importante. Esperamos conseguir ter o mesmo desempenho como foi contra os cariocas”, revela o comandante, que diz que time está concentrado em enfrentar o que o adversário tem de melhor.

 

“As análises foram feitas em cima do que ele tem de melhor, com base no jogo contra o Flamengo e dos jogos do Brasileiro. Como nós vamos encontrar o Cruzeiro, não conseguimos saber, mas nos preparamos para enfrentar o melhor. É um time mais forte, é claro que um título pode dar certo relaxamento, mas eu não acredito porque são todos jogadores que brigam por posição, que querem renovar contrato para o ano que vem. Temos que entrar preparados para um time forte, em um Mineirão lotado e temos que estar bastante atentos quanto a isso”, reforça.

 

Eduardo Baptista explica o quanto é importante treinar forte tanto a parte tática, mas principalmente a parte técnica. “É uma situação séria, de risco, e temos que fazer o máximo para trabalhar e sair dessa situação. Sempre buscamos em uma situação boa treinar fundamento, que é importante. Nós treinamos táticos, preparamos a equipe, mas nunca deixamos de lado o fundamento. Exigimos bastante e vamos continuar treinando essa parte técnica porque não se pode deixar de lado. Hoje em dia no futebol se prende muito à parte tática, se liga muito a números, 4-4-2, 4-3-3, 4-2-3-1, e a essência do futebol, e do jogador brasileiro, estão sendo deixadas de lado um pouco, que é o drible, a finalização, alguns detalhes que podemos sempre melhorar”, avalia o técnico.

 

O treinador também explica o que foi preciso fazer para que o grupo encarasse a situação de luta contra o rebaixamento de outra forma. “Nós da comissão técnica somos vendedores de ideias. Passamos algumas para os atletas, conscientizamos a situação delicada que se encontra a Ponte Preta. E toda essa entrega e luta nos beneficiará no final. A Ponte Preta mudou. Viu que tinha que encarar a Série A de maneira diferente e estamos começando. Tivemos uma vitória importante, mais foi apenas uma. Ainda temos muito que conquistar para sair dessa situação, que o clube não merece estar”, completa.

Notícias Recentes

NOTA DE ESCLARECIMENTO: IVAN

A Ponte Preta informa que, diferentemente do que foi divulgado pelo site Futebol Interior, a Ponte Preta possuí 100% dos direitos econômicos do goleiro Ivan e nem poderia ser diferente, uma vez que a FIFA não permite a transmissão

Leia mais »

REDES SOCIAIS