Pela Total Sul Americana, Ponte entra em campo na noite desta quarta contra o Lanús para ‘quebrar tabu’ de 113 anos e Jorginho ressalta: quem marca a história é quem é campeão, não quem chegou próximo de ser

 

Crédito obrigatório para reprodução da foto:
PontePress/BifeGodoy

 

O palco do jogo está preparado, os atletas estão mais do que prontos e a torcida mal pode esperar pelo apito inicial (e pelo final) do confronto entre Ponte Preta e Lanús, marcado para às 21h50 da noite desta quarta no estádio La Fortaleza, na Argentina. Quem vencer no tempo normal – ou na prorrogação ou pênaltis, se necessário – irá se sagrar como o grande campeão da Copa Total Sul Americana de 2013.  Depois de eliminar o Criciúma, o colombiano Deportivo Pasto, o favorito argentino Vélez e o campeão da última edição São Paulo, a Macaca terá de se superar mais uma vez se quiser levar para a casa o primeiro título internacional da história alvinegra. E o técnico Jorginho acredita que isso irá ocorrer.

 

“Nossos jogadores estão com uma fome, um desejo muito grande deste título, sabem da importância que ele terá para os torcedores e que irá marcar os nomes deles na história do time. É difícil realizar este sonho, o Lanús é o favorito na sua casa, tem uma trajetória mais marcante, outros títulos, mas todo jogo começa em 0 a 0 e cada um tem a mesma possibilidade em campo. Nós somos aqueles que muita gente não esperava que chegasse aqui, então vamos quebrar esse tabu que já dura 113 anos. Quem marca a história é quem é campeão, e não quem chegou próximo de ser”, diz.

 

Jorginho enfatiza que a imagem da Ponte está correndo o mundo graças à campanha que levou a Macaca à final e que o time tem que manter os pés no chão para vencer a batalha de hoje. “O mais importante é que estamos muito conscientes de quem somos, o que podemos e o que queremos. No jogo de logo mais o Lanús deverá pressionar e se expor mais do que a gente. Temos que jogar da nossa forma e com muito empenho”, afirma.

 

As duas ausências na equipe alvinegra serão Adrianinho – que cumpre pena por expulsão – e Uendel, suspenso pelo terceiro amarelo. Ambos, no entanto, viajaram com o grupo para apoiar e torcer pela Macaca. “Eles querem estar juntos e isso é importante para todos. Eu sei o quanto dói ficar de fora de uma decisão”, diz o comandante, relembrando que na Copa de 1994 ele atuava como lateral da Seleção Brasileira e saiu decisão do título antes mesmo da metade do primeiro tempo, por contusão.

 

O volante Ferrugem, que havia ficado em Campinas resolvendo questões de renovação contratual, também viajou para a Argentina na noite de ontem e fica à disposição de Jorginho. No lado do Lanús, Da Acosta poderá voltar ao time – se o treinador o considerar recuperado de contusão – enquanto Pereya Diaz está fora pelo terceiro amarelo.

 

Quem estiver em Campinas e quiser assistir a grande final tem como opção os dois telões colocados na frente do Majestoso. A partida será transmitida pela Rede Globo na TV aberta, para todo Brasil, bem como pela Fox Sports ou SporTV na paga. As rádios esportivas de Campinas também cobrirão a partida diretamente de Lanús (FM 99,1 e AMs 870, 1170 e 1270).

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS