Ponte retorna à Campinas nesta quinta e Guto Ferreira destaca importância de manter os pés no chão

Crédito obrigatório para reprodução da imagem:
PontePress/GuilhermeDorigatti

A Ponte Preta chega à Campinas no início nesta quinta-feira (04) após a conquista de um resultado histórico no Rio de Janeiro. Pela primeira vez, a Macaca venceu o Vasco da Gama no estádio São Januário, e com direito à goleada por 3 a 0. O resultado manteve a invencibilidade e a ótima campanha alvinegra no Brasileirão. Apesar do bom momento, o treinador Guto Ferreira destaca a importância de manter os pés no chão.

“Nós sabemos da dificuldade do Campeonato Brasileiro. Tínhamos a expectativa de ter um bom começo, mas logicamente está surpreendendo pela pontuação que estamos conseguindo. Nós nos preparamos bastante e há algum tempo já estamos corrigindo, reforçando e mentalizando situações e quando isso acontece dentro de campo ficamos muito satisfeitos. A confiança está aumentando, mas logicamente não pode ultrapassar um limite, pois ai começa a atrapalhar o empenho e a dedicação dentro de campo e podemos relaxar e achar que as coisas vão se resolver naturalmente e não é assim também. Precisamos ter os pés no chão e ir conduzindo aos poucos”, diz Guto Ferreira.

Com pouco tempo entre um jogo e outro, o comandante da Macaca já começa a pensar no Santos, adversário do próximo sábado (06). “Durante o Campeonato Paulista esse foi o jogo mais difícil que fizemos dentro de casa. Eu já dizia antes daquela partida que teríamos que jogar o nosso melhor e encontrar um Santos que não conseguisse o seu melhor, e nós conseguimos naquela partida marcar muito bem e fazer 3 a 1 em um jogo dificílimo. Ainda mais jogando na Vila Belmiro vai ser muito difícil, mas nossa equipe tem conseguindo quebrar algumas situações e isso mostra o quanto o grupo está focado e determinado em conquistar os objetivos”, afirma Guto Ferreira, que também comenta sobre a situação do atacante Borges, que vem sendo reserva da equipe.

“Temos que lidar com carinho. O mesmo carinho que tivemos ano passado com o Renato Cajá que foi um cara que nos ajudou muito. Estamos colocando ele aos poucos, nos momentos certos, e ele está evoluído. Nesse jogo teve três chances e botou uma pra dentro, mas também não podemos simplesmente colocar o Borges por ser o Borges. Temos o Diego Oliveira que vem bem, marcou gol novamente, e isso cria uma dor de cabeça boa”, finaliza Guto Ferreira.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS