Ponte segue caminho para Porto Alegre e, para zagueiro Pablo, manutenção de atletas titulares do Paulista será importante para começar bem o Brasileiro

Crédito obrigatório para reprodução da foto:
PontePress/GuilhermeDorigatti

Em campeonatos tão fortes como os disputados no Brasil, a manutenção da equipe por um período mais extenso se torna importante. É o caso da Ponte Preta, que após o Campeonato Paulista não conta apenas, do seu time titular, com o volante Bruno Silva. No mais, a espinha dorsal construída pelo técnico Guto Ferreira se manteve. Para o zagueiro Pablo, que deve estar entre os titulares diante do Grêmio, na estréia do Brasileiro, na manhã deste domingo (10), isso é positivo.

“É muito bom para uma equipe que fez uma bela campanha manter os principais jogadores. Isso dá um entrosamento muito grande. Foi muito bom que ficou a maioria, par darmos seqüência nesse trabalho que estamos fazendo”, diz o atleta, que treinou nesta manhã de sábado (9) com o grupo e já seguiu caminho para Porto Alegre. O xerifão reforça a confiança que tem nos seus companheiros.

“Já mostramos no Campeonato Paulista a qualidade do nosso time. Sabemos que é muito difícil jogar fora de casa. Ainda mais contra o Grêmio, que está em um outro nível, inclusive em termos financeiros. Mas temos totais condições de fazer um belo resultado fora de casa e vamos nos empenhar para isso.”

O defensor prevê confrontos complicados nesse Brasileiro e por isso mesmo prega atenção total já amanhã. “O nível da Série A para a Série B é totalmente diferente. Temos que estar muito mais preparados. A estréia sempre tem um frio na barriga a mais. Temos que entrar muito ligados em todos os jogos, porque são de nível altíssimo”, afirma Pablo.

Contra o Grêmio, o atleta projeta uma partida equilibrada, mas não teme o adversário. “Sabemos da importância que o Grêmio tem com a sua torcida. E os primeiros 15 minutos serão com uma pressão grande, estamos conscientes disso. Já fizemos bons jogos com equipes de primeira divisão neste ano e esperamos lá fazer mais um bom jogo”, diz o zagueiro, que revela que faz muito tempo desde a última vez que jogou às 11h (horário da partida diante dos gaúchos).

“Me lembro que joguei esse horário na época de escolinha, só. Mas a preparação tem que ser a mesma. Com a mesma dedicação ,foco, aquele cafezinho um pouco mais cedo, para não ficar cheio na hora do jogo. Vamos entrar focados para fazer um bom jogo lá”, completa.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS