Sonhos de pai e filho: Wanderleys querem acesso e título, e atacante promete honrar a camisa e trabalhar para transformar o desejo em realidade

Publicado em: 18/10/2020


PontePress/ThiagoToledo

Nesta manhã de domingo, durante o treino da Ponte Preta no Majestoso, dois Wanderleys pisaram no gramado e tiveram a mente invadida por memórias de outros tempos. O mais velho, Wanderley Santos Monteiro, não escondeu a emoção ao relembrar quando, 18 anos antes, esteve pela primeira vez no Moisés Lucarelli acompanhado de um garoto franzino que, como muitos, sonhava em jogar de futebol.

“Me lembro de quando estava chegando na frente do estádio com aquele menininho de 14 anos de idade, querendo ser jogador de futebol. Desci com ele ao meu lado, todo acanhado, e o Monga estava ali conversando com o Osmar Guarnelli, que foi zagueiro e depois foi treinador.  Eu precisava ir trabalhar, pedi licença pra interromper e falei pra ele: ‘Monga, você pediu pra eu  trazê-lo’ e o Monga disse ‘ Deixa ele comigo e volta de tarde’. Eu mal sabia que aquele era o começo”, conta seu Wanderley, com os olhos cheios de lágrimas.

Ele completa: “Eu tinha um sonho de pai, de que ele ia ser jogador, mas pai sonha mais do que qualquer coisa, eu nunca ia imaginar... e agora acho que ele está de volta para trazer um título. Na primeira passagem dele, quando o Vadão o lançou em 2006, ele depois chegou às finais contra o Palmeiras. Agora ele voltou para realizar esse sonho, tenho certeza disso.”

No que depender do atacante Wanderley, vontade não vai faltar para realizar mais este sonho do pai – e de toda a torcida alvinegra. “É um momento muito especial, relembrar tudo o que vivemos quando cheguei aqui. O Monga já naquele dia me mostrou o que é a Ponte, lembro que sempre antes dos jogos da Base ele falava no vestiários: aqui tem que dar carrinho de cabeça, tem que ter raça pra jogar aqui”, conta Wanderley.

Sonhos se tornam realidade quando se trabalha por eles. Os dois Wanderleys, pai e filho, são uma prova disso. E, no que depender do elenco alvinegro e do próprio Wanderley, trabalho não vai faltar para que o atual desejo, assim como aquele primeiro de 18 anos atrás,  se torne real. “É para isso que voltei: pra honrar essa camisa, ser campeão, conquistar o acesso junto com meus companheiros”, conclui o atacante pontepretano.

 


Outras Notícias


Veja Também

Newsletter Digite seu e-mail para receber nossa newsletter
Redes Sociais