Brigatti destaca: “Precisamos manter este espírito de luta, o elenco está fechado e provando que nada resiste ao trabalho”

Publicado em: 28/09/2020


Foto:PontePress/ÁlvaroJr

No G4 há quatro rodadas seguidas – e agora com uma com uma “gordurinha” de três pontos em relação ao quinto colocado – a Ponte Preta inicia na tarde desta segunda (28) os treinos visando ao confronto contra o Cruzeiro no meio da semana. Com o melhor ataque da competição (17 gols) e 63,3% de aproveitamento, a Ponte fez uma boa campanha, mas sabe que o desafio da noite de quarta não será fácil. O técnico João Brigatti, porém, acredita na força do grupo.

“O elenco está provando que nada resiste ao trabalho. Estamos a um ponto do líder.  Estamos fechados com o grupo, em busca do tão sonhado acesso. Acredito que hoje muitas equipes gostariam de estar na nossa posição”, diz o treinador, que para a partida em Belo Horizonte poderá contar com a volta do volante Luís Oyama, que cumpriu suspensão.

Confiança

Sobre a vitória na noite de ontem, Brigatti destaca o espírito da equipe q, que não sucumbiu à tristeza após a derrota para o América, que causou a desclassificação na Copa do Brasil. “Depois de uma eliminação, o time teve o comportamento certo e está de parabéns. Foi uma vitória difícil, suada e mostrou que nada é fácil para a Ponte. Precisamos manter esse espírito de luta. Perdemos quase R$ 3 milhões de premiação na Copa do Brasil, mas estamos em busca de R$ 30 milhões com o acesso. Nada vai abalar esse elenco”, afirma.

O treinador acrescenta que o lado emocional do elenco está forte e os atletas não se afetaram diante de depreciações externas à Ponte, em especial as surgida nas redes sociais. “Depois de uma eliminação, surgem algumas situações desagradáveis, críticas em cima no nosso trabalho, mas a Ponte está onde está pela força mental do seu elenco. Tentaram criar situações que o elenco estava rachado, é muito fácil falar isso depois de uma eliminação em que não atuamos bem e de fato não merecíamos a classificação. São situações que acontecem e tenho de trabalhar em cima do que acredito.”

Ele finaliza destacando que a conquista de ontem deve ser apreciada. “Sepois de uma eliminação, nada mais do que normal do que um time entrar de uma maneira mais receosa. Tivemos posse, não nos abatemos depois do gol e revertemos uma situação difícil, com tranquilidade para girar a bola e achar infiltrações. Foi uma vitória difícil, suada, não existe jogo fácil na série B e nada é fácil para a Ponte. Mas precisamos manter esse espírito de luta e as pessoas têm de mudar a cultura de dar mais ênfase paras as derrotas em vez de valorizar as vitórias, temos que valorizar o resultado de ontem”, conclui.


Outras Notícias


Veja Também

Newsletter Digite seu e-mail para receber nossa newsletter
Redes Sociais