Jorginho lamenta que os três pontos diante do Botafogo não vieram, mas destaca entrega e acredita em manter bons resultados contra o Londrina fora de casa

Publicado em: 08/06/2019


Foto:PontePress/ÁlvaroJr

A Ponte Preta somou mais um ponto na disputa do Campeonato Brasileiro da Série B ao empatar em 0 a 0 contra o Botafogo na noite da última sexta-feira (07) e chegou a seis jogos de invencibilidade, mas não deu continuidade à sequência de três vitórias que vinha acumulando. Após a partida, o treinador Jorginho – que segue viagem com a equipe amanhã para o Paraná - lamenta que os três pontos não vieram, mas destaca a entrega e a paciência que o time teve durante os 90 minutos.

“Nós perdemos dois pontos. É claro que queríamos muito ganhar o jogo, mas temos que entender que tem jogos e jogos, e esse foi muito difícil. Eles vieram com três volantes e fecharam muito essa jogada por dentro, e queríamos quebrar essas linhas e não conseguimos. Tivemos boas oportunidades no primeiro tempo e no segundo, apesar de termos tido 60% de posse de bola e 70% no jogo todo, eles controlaram maiso, mas sem ser tão objetivos e não sofremos tanto assim”, diz.

Ele acrescenta: “Não é fácil você bater, bater, bater e não conseguir entrar, então tem que ter paciência, perseverança e coragem para encarar uma situação como essa já que eles marcam muito bem e param as jogadas com faltas toda hora.” O comandante alvinegro comenta também sobre as alterações na equipe, entre elas a mudança de esquema inicial após não poder contar com o volante Edson e o meia Rafael Longine, que vinham atuando como titulares nos últimos jogos, e as trocas durante a partida com as entradas de Marcondele e Matheus Oliveira.

“Querendo ou não, nós mudamos a forma de jogar. Nós vínhamos com uma 4-4-2 com um losango no meio que facilita porque eu tinha o Edson, que é muito seguro ali, e tenho a saída de Camilo e Gerson Magrão, que precisam mais uma vez serem elogiados. O Longuine é um jogador que tem uma lucidez muito grande, a qualidade técnica dele é absurda. O Matheus Vargas já é um jogador mais de confronto que faz o pivô, mas ao mesmo tempo consegue fazer o giro em cima do adversário. Quando vimos que não estava dando com o Dadá colocamos o Marcondele para dar mais volume de jogo, trocamos o Marquinhos porque sabíamos que o lado direito deles era um pouco mais vulnerável, mas não conseguimos com tanta eficiência”, analisa.

Agora a Macaca se prepara para enfrentar o Londrina pela próxima rodada da competição, a última antes da parada para a Copa América. O elenco viaja neste domingo e já encara a partida na segunda-feira (10) na casa do adversário para buscar um resultado positivo.

“Eles vão jogar em casa e são uma equipe extremamente forte dentro de casa e vamos pegar um clima, provavelmente, muito mais frio do que aqui. Falar que ficamos satisfeitos com o empate ontem só pelo o que foi o jogo, que não merecia ter um vencedor pelo o que nós fizemos e pelo o que eles fizeram também. Lamentamos muito isso, mas a gente vem de uma sequência muito boa de resultados, depois da derrota para o Coritiba foram dois empates, três vitórias e agora voltamos a empatar, então temos essa possibilidade mesmo jogando fora, já que eles vão ter que agredir a gente”, conclui Jorginho.


Outras Notícias


Veja Também

Newsletter Digite seu e-mail para receber nossa newsletter
Redes Sociais