Elenco treina forte e atacante Thalles ressalta: “Estamos prontos para dar a vida no dérbi: temos que fazer nosso máximo para sair com a vitória e dar alegria ao torcedor”

Publicado em: 12/03/2019


 

Foto:PontePress/ÁlvaroJr

O 193º dérbi se aproxima e a Ponte Preta segue treinando com intensidade em busca de mais uma vitória no clássico de Campinas. Para os jogadores, o momento é de foco total e não há nenhum favoritismo. Se nas arquibancadas há quem entenda que a Ponte será beneficiada por jogar em casa com torcida única e estar vindo de duas vitórias consecutivas, no Majestoso eses fatores são encarados não como vantagem e sim como uma responsabilidade a mais.

“Contamos com apoio da nossa torcida, temos semana cheia e estamos prontos para dar a vida no dérbi e continuar sonhando com a classificação. Sabemos que pode haver fatores a nosso favor, mas de maneira alguma somos favoritos: temos que fazer nosso máximo, correr mais do que os caras, ganhar dividida,fazer gols, suar sangue para sair com a vitória e dar alegria ao torcedor”, alerta o atacante Thalles, autor do primeiro gol da Macaca na rodada do final de semana.

Ele ressalta que,mesmo que a Macaca entre em campo sem chances de classificação para a próxima etapa -  uma vez que o Red Bull joga na noite de sexta e se vencer já não poderá ser alcançado pela Ponte  - isso não reduzirá em nada o ímpeto de vencer.  “Enquanto houver chance temos que acreditar na classificação, mas mesmo que o Red Bull não tropece, nós  termos que nos preocupar conosco. Sábado será uma guerra e vamos entrar pra guerrear, independentemente do outro jogo”, diz.

Apesar de nunca ter atuado em um dérbi campineiro, o camisa 9 tem uma medida da importância do embate, afinal já disputou um outro grande clássico regional quando atuava pelo Vasco, contra o Flamengo. “Valia a Taça Guanabara, eu estava no vestiário e o Edmilson ia começar jogando, mas sentiu a coxa e eu comecei como titular. A gente estava ganhando até os 47 do primeiro tempo, seria meu primeiro título, e aí o Márcio Araujo fez um gol impedido e eles levaram. Isso ficou marcado na minha memória”, relembra, e completa: “Aqui ou no Rio, clássico é clássico: a semana é diferente, a gente se prepara de modo diferente e todo mundo quer ganhar.”

Em relação ao último jogo – primeira vitória fora de casa e segunda consecutiva da Ponte – o jogador faz uma análise acurada: “Estamos felizes pela evolução do trabalho, por estarmos entendendo  mais o que o Jorginho pede ,manter mais posse de bola, termos engrenado duas vitórias. Isso nos  deixa confiantes, mas seria melhor se estivéssemos já classificados. Temos uma obrigação maior, de continuar trabalhando para fazer mais”, conclui.

 


Outras Notícias


Veja Também

Newsletter Digite seu e-mail para receber nossa newsletter
Redes Sociais