Jorginho fala sobre a segunda vitória seguida da Macaca e já dá a letra: “Foco agora é exclusivo no dérbi e não tem escrita ou favoritismo: temos de fazer nosso melhor pra fazer um grande jogo”

Publicado em: 11/03/2019


Foto:PontePress/LuizGuilhermeMartins

Duas vitórias seguidas e um dérbi pela frente. Se por um lado o técnico Jorginho está satisfeito com os resultados mais recentes no Paulista, por outro contém qualquer tipo de entusiasmo em relação à próxima rodada, na noite de sábado (16), data marcada para o clássico campineiro.

“Não existe escrita ou favoritismo. Cada jogo é diferente e os mesmos fatores que nos motivam, motivam a eles também. O Guarani é um time qualificado, muito bem treinado pelo Loss com certeza vai ser um embate difícil. Nosso foco agora é exclusivo no dérbi,  temos de fazer nosso melhor pra fazer um grande jogo”, pontua.

Apesar de ser estreante no dérbi campineiro, o treinador tem muita experiência em clássicos. “Não foram poucos dérbis na minha vida, houve inúmeros Flamengo versus Vasco, já estive dos dois lados; Bayern e Schalke, Figueirense e  Avaí... agora tenho esta oportunidade e sei da importância do clássico. Só lamento não ter as duas torcidas, pois entendo que ocorreram problemas e a a polícia tem de estar atenta isso, mas numa cidade que respira futebol seria importante”, acredita.

Invicto no comando pontepretano desde que chegou (perdeu apenas o jogo da Copa do Brasil, que foi anulado justamente porque houve interferência externa que mudou o resultado), Jorginho enfatiza que a partida do final de semana também é fundamental para manter vivas as chances de classificação da Ponte no Paulista. Com 16 pontos, cinco atrás do Red Bull, e apenas mais duas rodadas, a Macaca precisa vencer e contar com tropeços do RB para se manter na luta.

“Nós alcançamos uma pontuação que, se estivéssemos no grupo C ou D, seríamos primeiro colocado da chave. Se fosse no B, estaríamos na segunda posição. Somos o quarto melhor time na colocação geral. A Ponte está viva e é possível nos classificar, apesar de ser muito difícil, então temos que acreditar, acabamos de vencer a primeira fora de casa e segunda seguida. O RB está em uma situação confortável, mas não vamos entregar: temos um dérbi fundamental, dentro de casa e com a nossa torcida, queremos  fazer um grande jogo, estamos analisando e observando tudo do Guarani para que possamos conquistar uma nova vitória e mantermos a esperança. E os jogadores estão acreditando. Esse grupo tem mais campeões que eu tinha em 2013, então esse grupo pode conquistar.”

Sobre a partida de ontem, o treinador afirma que o que mais gostou foi a segurança da equipe. “Foi o que mais me agradou. Estávamos vencendo e tomamos um gol por desatenção, numa situação difícil que é a bola parada. Não poderíamos ter tomado, mas a reação da equipe diante daquilo é que foi importante.  O time teve o mérito de não se deixar abater pelo gol do adversário, continuou organizado e agressivo, e fizemos o segundo. Nos reorganizamos e mantivemos a posse de bola no campo adversário”, analisa.

O treinador faz questão ainda de ressaltar a boa partida do camisa 9 alvinegro, que não só marcou o primeiro como atuou de maneira efetiva todo o jogo, como também dos jovens atletas da Base que levou para o banco – Matheus Alexandre teve a oportunidade de estrear. “Não sou de individualizar, mas quero ressaltar atuação do Thalles, que foi muito bem. Ele  vai ser muito importante para Ponte, vai trazer muitas alegrias. Quanto aos atletas mais jovens, gosto muito de contar com eles, o futuro da Ponte está nos atletas da base, temos uma geração muito qualificada e trouxemos seis pro jogo ontem, até mais poderiam ter entrado em campo dependendo da situação. Sabendo o momento certo de usar, com certeza vão contribuir muito”, diz.

Jorginho finaliza esclarecendo uma dúvida levantada pela mídia: teria ele poupado atletas no domingo por causa do dérbi vindouro? A resposta é negativa. “Não poupamos ninguém. Sim, o Edson tinha dois cartões, mas não jogou por causa de dores que vinha sentindo durante a semana. E outra, o Nathan é titular. Quanto ao Tiago, pensamos em ganhar ofensividade e produtividade no jogo, entrar dando facão dos dois lados, e pra fazer isso o time funciona com o que o Hugo Cabral e o Matheus Oliveira. Entramos com o que tínhamos de  melhor diante da situação do jogo, e no sábado entraremos com o que temos de melhor mais uma vez”, conclui.


Outras Notícias


Veja Também

Newsletter Digite seu e-mail para receber nossa newsletter
Redes Sociais