STJD acata tese do Jurídico da Macaca e anula partida entre Ponte Preta e Aparecidense por interferência externa na arbitragem; presidente da turma dá voto de minerva e diz que bandeirinha mentiu a auditores

Publicado em: 22/02/2019


A Ponte Preta vai ter uma nova chance na Copa do Brasil: em uma decisão inédita no futebol brasileiro, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) acatou a tese do Departamento Jurídico da Macaca na noite desta sexta-feira (22) e anulou a partida ocorrida em 12 de fevereiro em decorrência de interferência externa da arbitragem. Com isso, uma data deverá ser marcada para um novo confronto, no qual mais uma vez o time alvinegro terá a vantagem do empate para seguir em frente.

“Prevaleceu a verdade dos fatos e por isso estamos muito felizes. Agora é ter todo o empenho para vencermos em campo”, diz o presidente José Armando Abdalla Jr., que esteve pessoalmente no julgamento em Fortaleza-CE ao lado do advogado pontepretano João Felipe Artioli, que apresentou oralmente os argumentos da Macaca. “Estava 4 a 0 para indeferir nosso pedido, mas o voto do presidente da turma tem peso dois, por isso nossa solicitação foi atendida e o jogo anulado. O presidente da turma inclusive destacou que, na opinião dele, o bandeirinha do jogo mentiu para os auditores durante seu depoimento aqui em Fortaleza”, conta Artioli.

O diretor jurídico pontepretano, Giuliano Guerreiro, ressalta que o empenho da Ponte na questão foi fundamental. “Todo o departamento se dedicou ao máximo na conquista desta vitória, mas é preciso ressaltar em especial a garra do João Felipe Artioli, que trabalhou demais no caso”, enfatiza.

Relembre o caso  

No confronto entre Ponte Preta e Aparecidense, no último dia 12, a Ponte estava atrás no placar quando, aos 44 minutos, Hugo Cabral aproveitou um rebote e marcou gol, validado pelo juiz Leo Simão Holanda. Na confusão que se seguiu, com direito a diversas pessoas entrando em campo e conversa ao pé do ouvido com o delegado da partida Adalberto Grecco, o árbitro – após oito minutos – voltou atrás (o jogo ainda ficaria parado por pelo menos mais oito antes de a bola voltar a rolar).

O presidente do STJD, Paulo César Salomão Filho, inclusive chegou a determinar na segunda-feira (18) que o resultado da partida fosse suspenso até o julgamento o caso. A Ponte Preta apresentou ao STJD uma série de imagens, áudios e fatos que mostraram que, efetivamente, a interferência externa ocorreu. Com isso, o jogo foi anulado e uma nova data deverá ser marcada.


Outras Notícias


Veja Também

Newsletter Digite seu e-mail para receber nossa newsletter
Redes Sociais