Ponte se reapresenta nesta quarta e treinador Guto Ferreira destaca: Eles querem que a gente se entregue, mas nós não vamos nos entregar

 

Crédito obrigatório para reprodução da imagem:
PontePress/Fábio Leoni

 

A equipe da Ponte Preta vai se reapresentar para realizar treinamento técnico na tarde dessa quarta-feira (19) no estádio Moisés Lucarelli. O treinador Guto Ferreira vai iniciar os trabalhos visando ao último jogo da Macaca no Majestoso em 2014, contra o América MG no próximo sábado (22).

O treinador Guto Ferreira garante que o título ainda é possível e que a equipe ainda acredita no objetivo. “Ainda é possível. Nós subimos um ponto e o BOA ganhou o jogo. Pode ser que o Luverdense que está numa situação mais calma seja mais tranquilo, mas precisamos que o Joinville tenha mais um empate em dois jogos. O Oeste venceu e praticamente escapou do rebaixamento, mas é um time que sempre jogou futebol. Temos que confiar que tudo pode acontecer e fazer a nossa parte. Vamos ter outra guerra aqui no sábado e não podemos nos entregar. Eles querem que a gente se entregue, mas nós não vamos nos entregar. Não vamos dar motivos para eles dizerem que quem errou no final fomos nós.”

O comandante da Macaca ainda destacou a má atuação da arbitragem nas últimas partida do time, em especial no empate contra o América RN na noite dessa terça-feira (18). “Você trabalha pra caramba, rala o ano inteiro e cria uma expectativa baseada em seu trabalho. Esse jogo foi só mais um, isso não vem de hoje não. Contra o Avaí tivemos competência e conseguimos passar por cima da arbitragem e do gol legítimo anulado, o que me deixou até em uma situação física ruim. O jogo contra o Joinville lá foram pelo menos três lances capitais, não estou justificando a derrota, mas aconteceram. Dessa vez, mais três lances capitais no mínimo. O pênalti no Roni e no Rafael Costa no mesmo lance do primeiro tempo,  o gol anulado que eu não sei o que ele viu, o goleiro sai errado e tromba com o atacante e ainda é falta do ataque? Eu preciso entender qual o critério dele, porque foi diferente e fica difícil de trabalhar. A Ponte não tem 68 pontos com ajuda, tem jogando bola contra tudo e contra todos”, afirma Guto Ferreira.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS