Modesto, Pottker diz que Aranha é que foi decisivo, parabeniza todo o time e quer grande jogo contra o Palmeiras; Nino e Cajá podem voltar no domingo

Foto:PontePress/FábioLeoni

O elenco pontepretano treinou nesta quarta (12) de olho na primeira semifinal contra o Palmeiras – no domingo de Páscoa – e o atacante Pottker falou sobre a expectativa para o embate.  “Temos que seguir fortes, com mesmo espírito. Mesmo o adversário sendo apontado como superior tecnicamente, ele pode não estar bem naquele dia e podemos matar o jogo no primeiro confronto. Se colocarmos em campo todo nosso  coração e a garra, com  o apoio, quem sabe podemos ultrapassar os obstáculos e vencer. Sonhar não paga imposto, então vamos sonhar e fazer nossa parte”, diz.

Apesar de a Macaca ter vencido o Palmeiras na primeira fase do Paulista, Pottker diz que aquele jogo não é medida nem se compara ao que a Ponte deve enfrentar nas semifinais. “O jogo que ganhamos do Palmeiras antes foi totalmente diferente, era outro clima. Agora é decisão e eles inclusive têm um time de atletas acostumados a esse tipo de jogo, enquanto nós temos muitos jovens que nunca passaram por isso, mas  nós vamos em busca do melhor. A Ponte pode não ter status de time grande pra muita gente, mas temos pressão de time grande e  vamos nos dedicar ao máximo e buscar  o melhor pra gente e pro clube.”

O jogador acrescenta que o time terá de ter muito foco e pés no chão pra enfrentar o Palmeiras, assim como fez com o Santos. “Escolhemos viver isso, temos que estar preparados pra fazer o melhor. Pra isso temos de estar muito focados, dedicados, marca , correr, dar tudo o que temos”, pontua.

Ainda sobre a última partida das quartas, quando selou o destino do jogo ao marcar o último pênalti após Aranha ter defendido um do adversário, o artilheiro afirma, com modéstia, que o mérito maior foi do camisa 1. “Decisivo foi o Aranha e não eu. Eu, sou batedor oficial e u tinha que acertar o pênalti, ele não tinha obrigação de defender, então méritos e ele e a todo o time pelo que cada um fez e nos possibilitou sair vitoriosos”, enfatiza.

Nino e Cajá

Os atletas Nino Paraiba e Renato Cajá estão trabalhando intensamente no Departamento Médico para poderem estar de volta ao time já neste domingo, na primeira partida contra o Palmeiras. Os exames realizados por eles mostraram que, no caso de Nino, a lesão foi um edema no adutor da coxa esquerda.

Já em relação a Cajá, foi detectado edema no músculo retofemural da coxa esquerda. Ambos os atletas têm possibilidade de estarem aptos para jogar no domingo, dependendo do andar do tratamento nos próximos dias, caso o treinador Gilson Kleina opte por eles.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS