Ponte treina na manhã deste sábado (04) e Alexandro, artilheiro da equipe, diz que sua meta é dar alegrias ao torcedor

Crédito obrigatório para reprodução da foto:
PontePress/FábioLeoni

O elenco da Ponte Preta treina na manhã deste sábado, no CT do Jardim Eulina, e Alexandro –  artilheiro do time com nove gols marcados – diz que apesar da artilharia não coloca metas pessoais em primeiro plano. O objetivo principal, afirma, é subir a equipe e dar alegrias aos pontepretanos.

“Eu não gosto de ficar colocando metas de quantos gols vou marcar. Gosto de cada jogo fazer meu melhor e ajudar a equipe. Minha meta é subir a Ponte Preta e ser campeão. Não tenho meta pessoal: quero é dar alegrias a essa torcida, que vem comparecendo e com certeza irão comparecer ainda mais. Minha meta é essa”, afirma Alexandro, que a partir de agora tem novamente a concorrência do atacante Rafael Costa, recuperado de contusão.

“O Guto vai ter uma dor de cabeça saudável, que todos os treinadores gostam de ter. Quem ele colocar, com certeza vai dar seu melhor para Ponte Preta. O Rafael Costa me apoiou sempre e esteve do meu lado nas horas que mais precisei, sou muito grato a ele. O Guto, como treinador e uma pessoa de caráter, vai colocar o melhor para ajudar a equipe da Ponte Preta. Estou bastante tranquilo”, diz o atual camisa 9.

O jogador mostrou novamente seu faro de gol na última partida, ao anotar mais dois no empate da última terça no Majestoso. O último por sinal, gerou até certa controvérsia interna (em clima de muito bom humor): a bola entraria ou não sem o cabeceio de Alexandro? “O Cafú veio falar para mim: ‘Era para deixar a bola entrar’. Aí eu respondi que ela ia para fora. Ele retrucou dizendo que não ia e a bola estava dentro do gol. Eu só disse a ele: ‘Cafú. Para concluir eu empurrei ela para dentro. Para não ter dúvida’. Graças a Deus é um ambiente muito alegre aqui na Ponte e o importante foi o empate, após termos saído atrás do placar. O Cafú está de parabéns pela bela jogada que ele fez”, destaca.

Alexandro ressalta ainda o quanto o torcedor tem feito um papel fundamental nos jogos do time. “Depois do jogo vieram me entrevistar e falei que nunca tinha visto uma torcida dessas antes na vida. Não tem como não correr. Até o professor Guto às vezes fala para eu parar de correr um pouco, mas não tem como. É meu jeito, quero sempre ganhar, me entrego de corpo e alma nos jogos e essa torcida é fantástica. Vai ficar marcando meu coração. Nunca vou esquecer o que fizeram e sei que é só o começo”, completa.

Secando a rodada

Na noite de ontem o Vasco empatou com o Bragantino em 2 a 2 e a Ponte ainda se manteve isolada na primeira colocação – se o time carioca, que jogou em São Januário, tivesse vencido, chegaria aos mesmos 50 pontos da Macaca, ainda que ficasse uma posição atrás por número de vitórias.

"Estou assistindo a todos os jogos desta rodada e secando. Só o mar é que não seca, então não custa nada eu fazer isso, né? Tenho certeza que eles também secam nossos jogos", brinca o artilheiro.

No complemento da rodada neste sábado, Alex Macacão irá torcer por torpeços de Avaí (que tem 49 pontos e enfrenta às 16h10 o Náutico, em casa) e de Joinville, que enfrenta o América-RN fora de casa e tem 48 pontos.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS