Maio em festa: Conceição completou 79 anos na quinta e Carnielli faz 70 neste sábado

Maio é um mês festivo para a Ponte Preta, afinal, dois grandes ícones do time aniversariam neste mês. Na última quinta, dia 18, Maria Conceição Rodrigues, a torcedora-símbolo da Macaca, completou 79 anos e, neste sábado (21), é a vez do presidente de honra Sérgio Carnielli completar sete décadas de vida. Os dois, é claro, esperam como presente uma vitória do time nesta tarde no Majestoso contra o Palmeiras.

Mais do que uma torcedora fanática, Conceição é uma apaixonada pela Ponte Preta e merece todo o carinho do time, da torcida, da cidade de Campinas. Quem a vê nos dias de hoje no estádio em sua cadeira de rodas torcendo pela Macaca tem um – pequeno – exemplo de sua abnegação em prol do time que tanto ama.

A própria Conceição costma relembra de histórias como quando por conta própria enfrentava centenas – às vezes até milhares – de quilômetros de ônibus ou até de carona para chegar antes do elenco em determinados rincões em que a Ponte ia jogar e ia ao estádio, munida de material de limpeza que ela mesmo arrumava, para limpar o vestiário visitante e ter certeza que os seus “meninos” (como chama carinhosamente os jogadores) teriam um ambiente limpo e adequado pra se trocar

São lendárias as histórias como a vez em que o então marido deu-lhe o ultimato para escolher entre ele e a Ponte – ela respondeu na lata que jamais se separaria de sua amada Ponte Preta – ou de quando viajou no porta-malas de um carro até Bauru, nos anos de 1970, para não perder um confronto entre Ponte Preta e Noroeste pelo Campeonato Paulista.

Nascido em Campinas em um 21 de maio de 1946, Sérgio Carnielli descobriu o amor pela Macaca por volta dos 14 anos, quando pela primeira vez conseguiu ir assistir a um jogo. “Sou de Campinas, assim como toda minha família, mas minha família não era ligada a futebol e, apesar de eu gostar e jogar desde garoto, nunca tinha ido a uma partida porque trabalhava muito e não tinha tempo”, relembra ele, que logo aos sete anos começou a trabalhar na olaria do avô e aos oito já vendia groselha no circo sempre que havia espetáculo e nos dias de semana comercializava as verduras que a mãe plantava (nos finais de semana, engraxava sapatos no balão do Taquaral).

Mas, quando já adolescente finalmente arrumou tempo e foi pela primeira vez ao campo, a paixão bateu com tudo. “Virar pontepretano foi fácil: comecei a ver jogos da Ponte, era apaixonante desde aquela época. As campanhas que a Ponte fazia, os caminhões de torcedores, os que iam de trem, as campanhas para subir… Me tornei fanático”, relembra.

Em 1973, Carnielli virou conselheiro e passou a se inteirar mais da vida do clube.  Foi alçado a diretor de futebol em 1989 e subiu a Ponte no Paulista. Em 1996, Carnielli era vice-presidente e em virtude da renúncia do então mandatário Nivaldo Baldo assumiu temporariamente o cargo e chamou eleições, tendo sido eleito presidente no ano seguinte.

Desde então, se dedicou de corpo e alma ainda mais ao time, tendo inclusive investindo milhões de reais para literalmente impedir a Ponte Preta de ser consumida pelas dívidas que tinha. Após ter sido reeleito repetidas vezes, em 2011, por força de uma decisão polêmica na Justiça fortemente repelida pela instituição, Carnielli foi afastado do cargo e, por decisão do Conselho, foi nomeado presidente de honra no dia de seu 67º aniversário. A Ponte Preta homenageia a estes dois grandes apaixonados pela Macaca e deseja a ambos um ano repleto de muita saúde, felicidade e novas conquistas!

 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS