Macaca treina em Campinas neste sábado e no domingo faz atividade no Pacaembu, palco da decisão de segunda; Kleina alerta: não podemos sentar em cima da vantagem

 

Foto:PontePress/RaulSauan

A Ponte Preta faz na manhã este sábado (8) o último treino em Campinas antes de enfrentar o Santos pelas quartas de final. No domingo (9), a equipe tem atividade marcada no Pacaembu, palco da decisão pela vaga nas semifinais, marcada para a noite de segunda-feira. O técnico Gilson Kleina quer uma equipe competitiva e equilibrada emocionalmente para garantir o objetivo de seguir em frente no Paulistão 2017 – a Macaca venceu o primeiro embate das quartas por 1 a 0 e entra em campo com vantagem sobre o adversário.

“Mas quando se fala em administrar a vantagem, não adianta entrar e sentar em cima da bola no primeiro minuto. Temos que marcar firme sem a bola, mas  quando estivermos com ela temos que jogar, posicionar bem a equipe no Pacaembu para que também tenhamos controle do jogo. Vamos ter que transpirar, ser inteligentes, competitivos e não nos desestabilizar para conseguirmos atingir nosso objetivo”, pontua o treinador. Seguirá em diante a equipe com melhor desempenho somando-se os resultados de ambas as partidas e, no caso de empate entre eles, a vaga será definida nos pênaltis.

“Já sabemos o sentimento nosso e o do adversário, porque eles têm de reverter um revés e por si só o Santos é uma equipe agressiva, virá para cima. Porém não podemos abdicar de jpgar, achar que só vamos nos defender, e saber usar vantagem na hora certa. Vamos levar o comportamento que tivemos no Majestoso no primeiro embate para termos chance de consolidar esta conquista fora”, diz.

Em relação ao jogo ser no Pacaembu e não na Vila, Kleina não vê nenhum tipo de benefício para a Ponte. “Estamos nos mobilizando pra um grande jogo e pra conquista da classificação e não cabe a nós opinar sobre a opção do Santos, até porque eles têm grande torcida em São Paulo, assim como a nossa vai estar presente lotando a área visitante. Agora, entre Pacaembu e Vila Belmiro, o que precisamos é saber que estando fora de Campinas temos que ser fortes e a energia do nosso torcedor estará conosco, independentemente do lugar”, afirma.

Sem Fernando Bob, suspenso pelo terceiro cartão, o treinador ainda não definiu como vai a campo, até mesmo porque deve levar em consideração a recuperação dos atletas após a partida da noite de quarta contra o Gimnasia de La Plata, pela Copa Conmebol Sudamericana. “Fizemos reunião após oo jogo da Sulamericana com os profissionais do DM para saber como administrar melhor a situação de atletas como Pottker, Clayson e o próprio Cajá, que fez 90 minutos em um jogo tenso, em que procuramos gol, Nosso propósito é recuperar porque vai ser um jogo competitivo na segunda. O Santos não vai fugir forma de jogar dele e nós temos que ser uma equipe competente, forte, com mentalidade e emocional equilibrados.”

Por esta razão, a atividade na quinta foi regenerativa para quem jogou na quarta (com jogo treino para os demais), e ontem Kleina trabalhou questões específicas, como posicionamentos e contrataque. “Os jogadores vem em uma batida forte, sabíamos desta maratona e a Ponte está sendo muito competente nela, até porque este é um momento que amadurece todos nós, pois desde o jogo do São Bento toda partida que disputamos foi decisiva”, finaliza.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS