Ponte, Macaca querida, amor da minha vida, sou louco por você!

A diretoria da Ponte Preta esclarece que a Ponte é e sempre será a Macaca querida. O que mudou foi o mascote na Federação Paulista, aquele que entra em campo em  dia de jogo: aliás, o torcedor já está acostumado e gosta de ver as peripécias do Gorila no gramado.

Apenas para ficar claro, um exemplo do que ocorre com outros times: o Santos é o "Peixe", mas a mascote que o representa é uma baleia. A Ponte Preta, portanto, não mudou de nome ou tradição, só aumentou a família com a presença dos gêmeos do casal Gorila e Macaca.

E mais, os dois – Gorila e Macaca – continuarão entrando em campo nos jogos do Majestoso e, quem sabe em breve, também consigamos representar os macaquinhos. Portanto, deixando claro para não gerar nenhuma interpretação equivocada e para que todos saibam: a Ponte apenas oficializou junto à FPF que o mascote no Paulista de 2016 é o Gorila, assim como já ocorreu de maneira informal neste ano, mas a Macaca continua.

Os mais velhos hão de lembrar que um dia a mascote era uma senhorinha de bengala. Ela se foi dos campos, mas um dos apelidos da Ponte continua sendo Veterana e outro Nega Veia. A Macaca, porém, não irá embora dos campos! Pelo contrário, ela viu sua família crescer. Diz a música que a Ponte é raça, é TRADIÇÃO, e nunca, em hipótese alguma, mudaríamos nossas tradições: a Macaca é eterna e agora terá a companhia do Gorila e dos filhotes.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS