Leandrinho, de 16 anos e com gol anotado na Sulamericana pela Ponte, viaja na próxima segunda (24) para defender a Seleção Brasileira SUB17 na Coréia e, depois, no Mundial no Chile

Crédito obrigatório para reprodução da foto:
PontePress/ThiagoToled
o

 

Talentoso e autor do gol da Macaca no primeiro jogo pelo Sulamericano, o meia Leandrinho está preparando as malas prontas para viajar à Coréia. O jovem meia-atacante foi convocado para defender a Seleção Brasileira SUB17 e viaja na segunda (24) para a Granja Comary, de onde irá seguir para um torneio preparatório ao Mundial em território coreano. O torneio termina em 8 de setembro e, em outubro, o pontepretano deixa mais uma vez o Brasil para disputar a Copa do Mundo da categoria no Chile.

 

“É uma honra estar representando a seleção brasileira sub17. Ser reconhecido entre os melhores do país é uma honra sempre. Sou o único da Ponte e vou buscar mostrar meu trabalho”, diz. Quem tem acompanhado de perto a carreira de Leandrinho vê que o rapaz é um jogador diferenciado. Na última partida da Macaca, além do gol anotado aos 42 minutos do segundo tempo, teve outra duas grandes chances de marcar – não fosse o goleiro Silvio fazer grande defesa e o zagueiro Rafael Lima tirar em cima da linha, seriam mais dois gols anotados pelo meia. Aos 16 anos, o atleta sabe que a repercussão em cima do seu nome cresce a cada dia, mas o atleta se mostra tranquilo.

 

“Eu procuro me manter focado. Trabalhando sempre. Com os pés no chão e aproveitando as oportunidades que vem aparecendo. Sejam cinco ou dez minutos, nos últimos jogos tenho atuado um pouco mais, e é aproveitando isso, para quando aparecer chance de começar jogando representar bem e fazer um bom trabalho”, afirma Leandrinho, que para alguns não passa de um” juvenil”.

 

“O Fernando Bob sempre brinca comigo falando que eu sou juvenil. Mas é sempre com respeito e sempre levamos na brincadeira. Eu tenho que respeitar. É mais velho. Concordo com ele sim”, brinca o jogador, que comenta ainda sobre as diferenças de atuar no profissional em relação aos jogos com o time da base.

 

“É bem diferente. O posicionamento, o entendimento também é outro. Não chega a ser um jogo tão corrido, mas mais cadenciado. Em alguns momentos apenas que o jogo se torna corrido. É diferente, mas não é nada de anormal”, diz o meia.

 

O jogador mostra que é bem consciente, e revela quais são seus objetivos na carreira. “Meu tio sempre está comigo por trás de tudo. Meu foco é continuar trabalhando e se Deus quiser alcançar objetivos maiores no futebol. Tenho o sonho de chegar na seleção brasileira principal, ser o melhor jogador do mundo e disputar Champions League e Mundial pelo Brasil”, destaca Leandrinho, que vai atuar pela Udinese-ITA daqui a dois anos, mas que mantém suas atenções na Macaca.

 

“Ir embora do país só quando tiver 18 anos. Prefiro ficar focado aqui na Ponte Preta, que é onde tenho compromisso. Mais para frente, quando estiver mais próximo de ir embora eu começo a pensar mais em sair, agora meu foco é aqui”, diz, acrescentando:  “Meu pensamento não é sair daqui em branco. Quero deixar minha marca e ser reconhecido por ter deixado um bom trabalho.”

 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS