Com time alternativo que inclui estreias como a do meia Leandrinho, Ponte enfrenta Moto Club, em São Luis-MA nesta quinta e Guto, de Campinas, cobra boa atuação

Crédito obrigatório para reprodução da foto:
PontePress/DJotaCarvalho

A Ponte Preta enfrenta o Moto Club, no estádio Castelão, em São Luís-MA, às 19h30. A partida é valida pela 2ª Fase da Copa do Brasil e, caso a Macaca vença os maranhenses por dois ou mais gols de diferença, eliminará o jogo de volta em Campinas (a partida tem transmissão televisiva pela Fox Sports 2). Para esse confronto o técnico Guto Ferreira definiu que fosse um time alternativo para o confronto – entre os atletas que devem atuar está, por exemplo, o meia Leandrinho, de apenas 16 anos, que chamou a atenção recentemente com grande atuação pela Seleção Brasileira SUB17.

Até mesmo o comandante pontepretano ficou em Campinas, treinando os demais do elenco. O treinador explica a opção de ter ficado nesse momento.  “É uma questão de administrar da melhor maneira possível. Nós fizemos uma situação no jogo contra o Vilhena, que fui eu, e na seqüência não tivemos um jogo muito positivo contra o Mogi Mirim. Queira ou não queira, entre a Copa do Brasil e o Brasileiro, o mais importante é o Campeonato Brasileiro”, pontua, ressaltando que o confia no trabalho do auxiliar técnico Alexandre Faganello.

“Temos ajustes a fazer na equipe aqui, para a estreia de domingo contra o Grêmio, e o Alexandre já vem coordenando essa equipe que atua logo mais em São Luís-MA. Nos jogos-treinos era ele quem coordenava e é um trabalho em conjunto. Temos momentos em que precisamos que agir dessa maneira, até por causa do calendário que nós temos”, diz Guto, que ressalta o bom desempenho do seu auxiliar no comando da equipe.

“Pela estatística do Faganello, no mínimo o empate ele tem que trazer de São Luís-MA. Ele dirigiu a Ponte na minha outra passagem contra o Itabaiana, e matamos o jogo na primeira partida lá. Dirigiu no Brasileiro da Série B no ano passado contra o Vasco – houve empate – e contra o Bragantino foi vitória. Se ele seguir dentro disso aí, vamos colher um bom resultado”, diz.

Apesar da confiança depositada na sua comissão, Guto não vai abrir mão de fazer suas observações. “Nós estamos trabalhando. Eu só à distância. Se não houver a comunicação, porque lá se omitiram no contato, na hora que chegar aqui a casa cai (risos). Não ligo durante o jogo, até porque não é possível comunicar no decorrer da partida. A partir do momento que se tenha contatos aí você faz. Mas fizemos planejamento: jogador de situação A não dando resposta, direcionamento para B, ou para C. Reestruturação da equipe se organização X está dando problema. E o que sobra serve para falarmos, até porque o tempo que temos para conversar é pouco e para orientar também. Esses ajustes tem que ser bastante rápidos e por isso fazemos planejamento de estratégias de jogo, do que pode ocorrer e quais as ações temos pra tomar.”

Ainda sobre sua permanência em Campinas, Guto Ferreira também avalia que seja importante para fazer correções. “Não só intensificar, mas buscar correções que já observamos, não só no jogo contra o Orlando, mas até no jogo contra o Corinthians mesmo. É que se tem por idéia de que se jogou bem contra o Corinthians não tinha erros. Mas tivemos sim, assim como em Orlando. Dificilmente vamos ter 100% de acertos. Só vamos estar contentes tiver em 38 jogos, 100% de acertos em todos. Aí vamos estar tranqüilos, mas não é isso que ocorre. Nós trabalhamos com seres humanos e não com máquinas. Há interferências de ‘n’ situações e temos que estar controlando tudo. Por isso estar trabalhando para que possamos movimentar tudo a contento”, reforça.

O técnico ainda faz questão de dizer que, independentemente de quem atue pela Ponte, o pensamento sempre é de vencer. “Se não for com o pensamento de vitória, não serve para jogar na Ponte Preta. E se eu não trabalhar com esse pensamento eu não sirvo para dirigir o time. Volto a falar: a Ponte Preta trem que pensar sempre em estar vencendo. Se vai conseguir é outra situação. Mas temos que ter dentro da gente o espírito de estar vencendo. Pode acontecer ou não. Ao final você pode analisar se foi bom ou ruim o empate, ou em que condições se perdeu, mas no início da partida, independentemente de quem seja, temos que entrar com o pensamento de vitórias e nos mobilizarmos para isso”, completa.

Além de Leandrinho, devem estrear pela Macaca o zagueiro Rodrigo Lobão e o lateral Maicoon, ambos advindos da Base. O atacante Diego Oliveira, recém-chegado para integrar a equipe titular, também deverá ter chance de estrear com a camisa pontepretana. Quem quiser acompanhar a partida disputada no Maranhão tem como opções os canal por assinatura FOX Sports 2, e as rádios esportivas de Campinas (AM 870 e 1170; e FM 99,1) ou as webrádios Macacada Reunida e Ponte News.

 

Notícias Recentes

NOTA DE ESCLARECIMENTO: IVAN

A Ponte Preta informa que, diferentemente do que foi divulgado pelo site Futebol Interior, a Ponte Preta possuí 100% dos direitos econômicos do goleiro Ivan e nem poderia ser diferente, uma vez que a FIFA não permite a transmissão

Leia mais »

REDES SOCIAIS