Kleina diz que nada deu certo em campo ontem, mas enfatiza: precisamos retribuir o que o torcedor fez por nós e as coisas se definirão no gramado, não podemos jogar a toalha

O sentimento de frustração pela derrota na primeira das duas finais foi visível ontem no Majestoso, mas nada está definido ainda. Mesmo contra a adversidade de ter que fazer três gols em pleno campo adversário, o técnico Gilson Kleina ressalta que a tarefa não é impossível e que o time tem que acreditar e ir para São Paulo com uma postura de luta e dignidade, até mesmo para devolver ao torcedor alvinegro tudo que ele fez pela equipe neste domingo.

“O torcedor foi o ponto positivo do jogo de domingo. Fora isso, entendo que nada que nós pensamos aconteceu, nada deu certo. Vamos trabalhar com intensidade durante a semana, acreditando da mesma maneira que é possível, e  jogar pela dignidade em Itaquera. O que o torcedor fez por nós não pudemos retribuir em campo: a torcida cantou até o final, nos aplaudiu no final do jogo porque viu que a gente é capaz, então vamos corrigir, conversar e dar tudo para poder ser digno pro segundo jogo”, diz Kleina.

O treinador acrescenta a linha que pretende imprimir junto aos atletas nesta semana. “Todo mundo sabe que não fizemos grande jogo, por mérito do adversário que nos levou a nos expor mais e porque nossas jogadas pelas laterais não aconteceram, mas não é derrota que vai nos tirar do caminho. Pra sermos campeões precisamos fazer um gol de cada vez, então a gente sabe que vai jogar com um Corinthians muito forte dentro do seu campo, mas jogo é decidido no gramado e nós não podemos jogar a toalha. Temos que fortalecer nosso objetivo e jogar: se falo em dignidade, falo em vitória. As coisas ficaram mais difíceis, é claro, mas temos mais 90 minutos pra reverter.”

Na avaliação do comandante alvinegro, a derrota inesperada de ontem ocorreu muito mais pela efetividade do adversário. “Eles foram mais efetivos e os três gols que sofremos nós mesmos propiciamos por erros. Tomamos gol de tiro de meta em lance que sabemos que o Corinthians briga muito bem pela primeira bola, e tínhamos que cobrir muito bem a primeira e a segunda. Já no segundo gol, infelizmente Yago se lesionou, não paramos a bola e deixamos a transição do Corinthians acontecer. Eles marcaram sempre baixo a as duas linhas e tomamos gol da lateral. Muita coisa em que não vínhamos errando fomos falhar justamente ontem e entendo que eles aproveitaram bem nossas falhas”, lamenta.

O treinador diz que a construção do resultado foi mérito do adversário e conta que a Ponte realmente modificou o modo de jogar. “Tentamos ser mais agressivos e até tínhamos o controle, mas não o arremate. E erramos muitos passes, uma coisa que normalmente é nosso forte,  principalmente na transição das jogadas. Tínhamos que propor o jogo e falhamos. Então agora temos é que ter intensidade, não podemos abaixar a cabeça. O resultado de ontem é muito ruim, mas futebol é jogado e não determinado por antecedência”, diz,

A equipe se reapresenta nesta terça (2) e Kleina saberá com quem poderá contar para a partida de volta, no próximo domingo. “ Yago se lesionou e não sabemos se vamos perdê-lo ou não, o Claysinho também sentiu e ficou no jogo no sacrifício. Saberemos na terça como ficam essas situações e vamos montar equipe em cima do que estamos trabalhando. Não adianta querer mudar tudo, achar que está tudo errado: foi uma tarde infeliz e precisamos dar moral aos jogadores que tiveram o mérito de trazer a Ponte para a final e fazer um bom jogo lá.”

Ele finaliza dizendo que durante a semana o elenco terá de conversar para entender o que precisa ser feito e focar em uma boa partida em São Paulo, independentemente de qualquer probabilidade. “Ontem foi a primeira vez que saímos atrás e  tivermos uma derrota ruim como essa. Vamos trabalhar pra sermos competitivos, voltar à nossa característica e não perder a identidade, algo que é importante não só para o próximo jogo como para a sequência do ano. Não adianta pisar no Itaquerão entregue, porque daí é pior ainda. Reforço que ontem o ponto positivo foi o torcedor, que veio, nos deu apoio, uma recepção fantástica, nos deu energia durante todo o jogo e realmente fomos nós que ficamos devendo, então temos que estar comprometidos e fazer nosso melhor no próximo domingo”, conclui.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS