Kleina quer manutenção da postura apresentada na vitória contra o Cruzeiro para jogo diante do Palmeiras nesse domingo (25)

Crédito obrigatório para reprodução da foto:
PontePress/FábioLeoni

A vitória por 1 a 0 contra o Cruzeiro na noite de ontem (22) foi bastante positiva, na avaliação do técnico Gilson Kleina. Ele ressalta que o jogo foi difícil, mesmo com o adversário tendo usado uma escalação diferente da rodada anterior, iniciando a partida com menos atletas considerados titulares. “Aos poucos nossa equipe foi se encaixando, começou a ganhar a segunda bola, a colocar a jogada pelo lado, com passagens do Nino e do João Lucas, nosso jogou começou a fluir e começamos a colocar o Cruzeiro para trás. Fizemos um gol em um pênalti que realmente aconteceu. O Lucca mais uma vez foi muito competente na finalização”, diz.

O técnico acrescenta que o ritmo da partida foi intenso. “Foi um jogo eletrizante, de muita movimentação, de muita pegada e soubemos passar por esse momento. O Cruzeiro mudou praticamente o time todo em relação à última partida e mesmo assim vimos como é um elenco qualificado. Ficamos muito felizes por ter uma vitória em cima de uma equipe desse porte. Mais uma vez fizemos o dever de casa, o que é importante para o nosso planejamento”, reforça Kleina.

O treinador destaca mais uma vez a força da equipe atuando em Campinas e como a entrada do volante Jadson foi importante para a conquista da vitória contra os mineiros. “A Ponte é forte dentro do Majestoso e que possamos repetir isso no domingo. Quando vimos que o Cruzeiro iria vir com uma escalação bem diferente do que vinha jogando, a única coisa que pedi no vestiário era que mantivesse a nossa atitude. Independentemente de quem entra, era o Cruzeiro. A postura foi essa. Acho que o que tirou o ímpeto do Cruzeiro foi a entrada do Jadson, que fez muito bem a leitura, fechou o meio de campo, pois era uma estrutura que estávamos perdendo. Ele foi perfeito, a nossa equipe cresceu e eles começaram a fazer mudanças.”

Kleina também salienta a força de vontade do elenco. “As divididas foram importantes, no pé de ferro deu Ponte e vimos o espírito dessa equipe. O jogo acabou e o Emerson Sheik estava brigando pela bola, aos 38 anos, e isso nos deixa felizes, porque o torcedor fica feliz. O time está com esse espírito. Vamos procurar mantes essa postura, domingo mais uma vez tem um gigante e vamos fazer de tudo para se competente e dar alegrias novamente”, afirma o técnico, que na tarde desta sexta (23) comanda treinamento da equipe no CT.

Kleina comenta o que acredita que a Ponte vai encontrar no domingo (25), ao enfrentar o Palmeiras, em mais um jogo no Moisés Lucarelli. “Temos que manter nossa postura e atitude. Vamos fazer uma marcação alta, intermediária e isso passa também pelo adversário. O Palmeiras teve um jogo dificílimo contra o Atlético Goianiense. O Campeonato Brasileiro é muito equilibrado. Pelo que tenho visto do Palmeiras nos últimos jogos, eles também estão poupando jogadores, mas é um elenco diferenciado pelo investimento que faz. E o sentimento do Palmeiras pode vir diferente para esse jogo, eles talvez relembrem os 3 a 0, a eliminação, sabem como tem sido nossa campanha aqui dentro e podem por na cabeça que vamos ter que competir, como estamos, e manter essa identidade”, finaliza.

Notícias Recentes

NOTA DE ESCLARECIMENTO: IVAN

A Ponte Preta informa que, diferentemente do que foi divulgado pelo site Futebol Interior, a Ponte Preta possuí 100% dos direitos econômicos do goleiro Ivan e nem poderia ser diferente, uma vez que a FIFA não permite a transmissão

Leia mais »

REDES SOCIAIS