Kleina lamenta resultado contra o Atlético: “O que nós pensamos não deu certo, nos limitamos a um jogo previsível e isso nos custou caro. Agora é assimilar e reagir para próxima partida”

Perder para o último colocado da competição em uma partida na qual a vitória poderia levar a ponte ao G4 é algo que definitivamente não estava nos planos de nenhum pontepretano. O técnico Gilson Kleina lamenta a derrota, mas já pensa na partida de domingo contra a Chapecoense.  “O adversário ontem foi merecedor do resultado, nós estávamos muito abaixo, com nível de competitividade muito aquém do que podemos, não repetimos o que vínhamos fazendo nesse início do campeonato, nos descaracterizamos totalmente. Agora temos que  assimilar o que ocorreu, corrigir e reagir para próxima partida”, diz.

Kleina afirma que, efetivamente, nada deu certo na noite de quinta. “Pegamos uma equipe que tinha estratégia de transitar e esperar nosso erro. Tivemos de bola, posse, mas não verticalizamos, não conseguímaos concluir. Demoramos pra fazer a leitura do jogo e não conseguimos ter mais poder de fogo. Foram muitos erros de passe, jogadas pelo lado não funcionaram, eles encaixaram dois gols no primeiro tempo e continuaram com a proposta de jogar no contrataque. Resultado muito ruim pra nós, agora precisamos voltar a ter nossa identidade de marcação forte e velocidade, pra retomar a pontuação e as vitórias”, diz.

O treinador complementa: “Não vamos tirar mérito do Atlético, que marcou forte, se mobilizou.  Importante dizer que em momento algum desdenhamos do oponente antes do jogo, pelo contrário, trabalhamos forte porque sabíamos que neste momento eles teriam um trabalho de vestiário forte, uma pilha diferente. O que aconteceu foi que nós ficamos abaixo na nossa atitude, nos descaracterizamos. A responsabilidade é minha, o que eu pensei não deu certo, individualmente estávamos muito abaixo e coisas não ocorreram: nos limitamos a um jogo previsível e isso nos custou caro.”

O treinador finaliza dizendo que a Ponte ainda está estreando alguns jogadores e que outros precisam de ritmo, e isso colabora para que existirem ocasiões em que as coisas não aconteçam. “Se estiverem todos em condições, temos um elenco qualificado.Jogadores como o Sheik, que vem de uma inatividade grande, assim como o Cajá, que lesionou e agora está recomeçando em campo, o Bob que continua lesionado, demandam cuidados. Repito, ontem foi uma noite em que coisas não aconteceram pra nós e agora é reavaliar, recuperar e neste final de semana no Majestoso, diante de nossa torcida e onde a Ponte é forte, voltar às vitórias e somar pontos”, conclui.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS