Com boas atuações de estreantes, Kleina diz que fase de reconstrução do time está caminhando e enfatiza: “Jogamos contra um time qualificado e trouxemos ponto importantíssimo para Campinas”

Foto:PontePress

Após um primeiro tempo complicado, a Ponte Preta dominou a etapa complementar da partida contra o Atlético-MG ontem, virou o jogo em plena Arena Independência, bombardeou o time adversário depois de tomar o empate – em gol de bola parada – e por pouco não saiu com a vitória. Apesar dos três pontos não terem sido conquistados, o resultado foi extremamente positivo, ainda mais diante de um dono da casa extremamente pressionado por ainda não ter vencido na competição, e o time voltou a Campinas dentro da meta mínima estabelecida pelo técnico Gilson Kleina para os jogos iniciais do Brasileiro: 4 pontos em três partidas, sendo duas delas fora de casa.

“No segundo tempo as coisas aconteceram ontem. Saímos atrás e não só a equipe reagiu na etapa complementar como foi competentíssima na virada. Infelizmente nos tomamos um gol de bola parada, depois tivemos três contrataques muito bons com chances reais de gol, mas infelizmente não pudemos levar os três pontos pra Campinas. Porém, estou satisfeito com o resultado: trouxemos para Campinas um ponto importantíssimo, conquistado contra equipe qualificada”, pontua o treinador.

Para avalia o porquê do time ter crescido de produção na etapa final. “No primeiro tempo estávamos marcando bem, o Aranha praticamente não fez uma defesa, eles estavam vivendo de bola parada. Mas nossos atacantes estavam muito na linha perto do Wendel e do Elton, com isso o campo ‘ficou muito largo’ pra nós e a zaga do Atlético estava em cima da gente. Precisávamos de um atleta que articulasse melhor essa bola e o Léo Artur tem essa característica, por isso trocamos o Ravanelli por ele no segundo tempo e posicionamos de maneira diferente o Lucca e o Lins, isso aumentou nosso poder de definição e nossas jogadas ofensivas”, diz.

Além de Léo Artur, também estrearam ontem Claudinho e Rodrigo, e o comandante alvinegro acredita que o trabalho do trio foi positivo. “Estreamos três jogadores qualificados. São atletas que estão se adaptando e esse foi um dos motivos que fizemos o trabalho de intertemporada em itu. Essa fase de reconstrução é importante, pois saíram jogadores goleadores,  que fizeram grande campeonato Paulista, Sulamericana e Copa do Brasil, e a substituição à altura não ocorre da noite pro dia, temos que trabalhar duro”, afirma.

Além das boas estreias, outros jogadores da Macaca destacaram-se ontem – caso, por exemplo, do lateral Nino Paraíba e do atacante Lucca, que balançou as redes duas vezes. Contra o São Paulo, no próximo final de semana, Kleina também deverá ter mais reforços à disposição, entre os quais o meia Renato Cajá e o atacante Emerson Sheik. “Vamos ver como faremos a formação com os que estarão à disposição para a próxima partida. Teremos  um adversário difícil pela frente, mas dentro do Majestoso a Ponte é muito forte pra poder fazer nosso resultado”, finaliza o treinador.

A equipe chegou de viagem à Campinas na noite de ontem e nesta segunda o dia é de descanso e a necessária recuperação do desgaste físico. O time se reapresenta para treinar na tarde de terça (30), no Estádio Moisés Lucarelli. 

Notícias Recentes

NOTA DE ESCLARECIMENTO: IVAN

A Ponte Preta informa que, diferentemente do que foi divulgado pelo site Futebol Interior, a Ponte Preta possuí 100% dos direitos econômicos do goleiro Ivan e nem poderia ser diferente, uma vez que a FIFA não permite a transmissão

Leia mais »

REDES SOCIAIS