Ponte Preta faz jogo-treino contra o Mogi Mirim neste sábado (11); Adrianinho avalia mudança de esquema do técnico Vadão e adaptação dos novos reforços ao time titular

Crédito obrigatório para reprodução da foto:
PontePress/GuilhermeDorigatti

Assim como fez no último sábado, a equipe da Ponte Preta fecha mais uma semana de preparação para o início do Brasileiro da Série B com um novo jogo-treino. Dessa vez o adversário será o Mogi Mirim, no estádio Romildão, às 9 horas desta manhã (11). Para a atividade, o técnico Vadão iniciará com o mesmo time que enfrentou o Corinthians, no fim de semana passado. Desta forma, Adrianinho terá a companhia de Elton, Adílson Goiano e Fernando Bob no meio de campo – o que, segundo o jogador, tem sido uma mudança interessante.

“Nesse esquema eu tenho três volantes atrás, que acabam me dando um suporte maior para eu me movimentar mais à vontade. Claro que há recomposição e no futebol já faz tempo que até os atacantes –  às vezes pelo lado, outras vezes pelo meio –  preenchem o meio-de-campo, o que é fundamental para roubar a bola na hora certa e evitar que a equipe adversária cresça. Tenho consciência que tenho que fazer isso, mas com certeza o novo esquema dá mais liberdade de movimentação”, diz.

Adrianinho é hoje o único homem de articulação no meio de campo atual na equipe titular, o que faz com que o técnico Vadão ainda deseje reforços para a posição. “Realmente o Vadão até conosco comentou isso. Precisa de mais uns dois jogadores com as características que ele quer. E eu acho importante. O Vadão é um treinador experiente e com certeza ele sabe o que está fazendo”, diz Adrianinho.

Por falar em reforços, Adrianinho tem a companhia de três na nova formação promovida pelo treinador: além de Elton e Adílson Goiano na marcação, Edno tem feito o trabalho no ataque.  Adrianinho diz como tem sido a adaptação aos novos companheiros.

“No futebol estamos acostumados com isso. Chegam e saem profissionais e acaba ficando um pouco diferente do grupo anterior. Já estávamos acostumados como todos jogavam, mas agora mudou um pouco. Só que os que chegaram parecem que têm facilidade de entrosamento, já estamos tendo isso dentro de campo. Alguns ainda são meio tímidos, quietos, mas com o tempo eles vão se soltando, para se soltarem dentro de campo também”, explica.

O meio-campista, que fala um pouco do papel dos líderes do elenco – ele mesmo, Edno, Roberto, Fernando Bob e Diego Sacoman. “Procuramos conversar com todos, principalmente os mais novos, que após uma vitória se empolgam ou em uma derrota ficam cabisbaixos. E futebol não é assim. Futebol é domingo, quarta e domingo de novo, não podemos elevar demais nossa autoestima e nem deixar que ela caia. Como nós temos um pouco mais de experiência, tentamos controlar, até mesmo quando precisa dar um puxão de orelha. O Vadão nos dá essa liberdade e procuramos resolver todos os problemas lá dentro, para que nada venha atrapalhar dentro de campo”, completa Adrianinho.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS