Ponte treina em Recife e artilheiro Alexandro Macacão garante: é o jogo da vida e se eu tiver que sangrar e morrer em campo pela Ponte Preta, é isso que vou fazer

 

Crédito obrigatório para reprodução da imagem: PontePress/Fábio Leoni

 

A Ponte Preta treina na manhã desta sexta (28) na Ilha do Retiro, no Recife – para onde viajou ontem com o objetivo de enfrentar o Náutico em uma partida que pode dar o título para a Macaca, caso a alvinegra vença e o Oeste derrote o Joinville em partida no mesmo horário. Artilheiro da equipe com 12 gols na competição, o atacante Alexandro Macacão destaca que este é o último e mais importante jogo do ano, e que o time vai dar tudo de si para vencer.

“Temos que dar mais de 100%, cada um tem que dar o seu máximo. Sabemos da importância do jogo, vamos fazer nossa parte contra o Náutico e o resto vai acontecer. É o jogo da vida, se eu tiver que colocar a cabeça, sangrar e morrer pela Ponte Preta, é isso que eu vou fazer”, diz o jogador, que salienta o quanto a equipe está focada para vencer.

“Nós sabemos que houve um relaxamento nos últimos jogos, a torcida veio cobrando a gente com razão, houve dúvida, mas neste jogo tem que dar o que tiver, não podemos dar o vacilo que demos nos últimos dois jogos: tem que dar a vida, não tem meio termo. Então estamos todos focados e engasgados com o grito na goela para dar esse título para a Ponte, se Deus quiser”, pontua.

O jogador refuta qualquer tipo de facilidade em enfrentar o Náutico, já que a equipe pernambucana não tem mais pretensões na competição e não treinou ontem alegando atraso de salários – a diretoria do time oponente cogitou, inclusive, colocar uma equipe de base em campo para não ser punida caso a greve dos atletas continue. “Não tem nada fácil, independentemente de quem entre em campo o Náutico não vai fazer corpo mole. Vai ser  difícil e temos que estar ligados.”

O Macacão afirma que o time alvinegro não vai ficar pensando neste momento no passado e nem mesmo no jogo de Oeste e Joinville. “Sou Oeste desde pequenininho, mas não adianta nada eles ganharem e a gente não. Então vamos esquecer o jogo lá e focar só no Náutico para ser vitorioso nesta partida. A gente vinha em uma sequência boa até enfrentar o Joinvile e caiu de lá  pra cá, mas agora esquecer tudo e só ter o Náutico na cabeça. Temos cobrança da diretoria, da torcida e de nós mesmos, porque está na nossa mão, então vamos dar o sangue e a alma, porque aqui é Ponte Preta.”

Ainda não confirmado pelo técnico Guto Ferreira como titular e com vontade de balançar as redes de maneira histórica, Alexandro conta que o mais importante é realmente a vitória amanhã. “Não sei se entro em campo desde o início ou se vou estar na ‘casa do tchutchuco’” –  diz o atleta usando o vocabulário peculiar com o qual se refere ao banco de reservas – “mas o grupo é muito bom e o melhor time é sempre o que o Guto põe em campo. É claro que meu sonho é fazer o gol do título, mas o negócio é ganhar, não interessa quem marque: pode ser com gol contra deles, gol meu, do Rafa, do Cafu, do Roni, do Rodnei, até do Roberto. O negócio é ganhar e  ser campeão para coroar a campanha que fizemos e a conquista da vaga na série A com chave de ouro”, finaliza.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS