João Vítor espera que time corrija erros apresentados nas últimas rodadas e acredita em time 100% focado diante do Inter para voltar a vencer

 

Foto: PontePress/FábioLeoni

A Ponte Preta segue sua preparação para o confronto diante do Internacional, na quinta-feira (17), mas a derrota para o Santos ainda permanece viva. Para o volante João Vítor, o revés diante do adversário tem que servir como lição para que o time não perca mais pontos e consiga sair vitorioso em mais jogos.

“Trabalhamos muito todos os dias. Claro que chegamos em uma situação bastante confortável para nós, mas isso não quer dizer que estejamos de férias e largamos. O que vem acontecendo é que não estamos conseguindo manter a concentração os 90 minutos. Fazemos bons primeiros tempos, mas no final não conseguimos continuar concentrados e as equipes estão se aproveitando. Algo que era bastante difícil de acontecer em relação aos times que jogavam contra nós. Mas tivemos uma longa conversa para que isso se corrija. Foram três erros consecutivos de concentração e vamos rever isso para que não aconteça mais e voltemos a pontuar”, avalia o jogador, que teve que sair após o primeiro tempo da partida de domingo (6).

“Na sexta-feira amanheci um pouco doente, por conta de uma virose. Passei a concentração inteira sendo medicado, senão não iria conseguir jogar. Infelizmente o jogo mudou para as 11 horas e isso dificultou um pouco mais. Para quem já estava doente, jogar debaixo de um sol desses pesou. No meu modo de ver eu não conseguiria ajudar mais meus companheiros dentro de campo e tive que sair, para dar oportunidade a um companheiro renovado e que pudesse contribuir mais do que eu. São coisas que acontecem no futebol, mas serve para que estejamos atentos os 90 minutos, para contribuir sempre mais”, explica o volante.

Apesar do resultado negativo, João Vitor diz que equipe vai continuar em busca de objetivos maiores nessa reta final de Brasileiro. “Enquanto houver chances de entrar sempre estaremos lutando. Ficou um pouco mais difícil, mas são nessas horas que vemos que tem condições de buscar. Nosso grupo é bastante competente, com pessoas de caráter e está trabalhando o dia a dia para conseguir sempre o melhor a cada jogo. Vamos pensar agora só no Inter, para conseguir três pontos e estar novamente mais pertos do G6”, reforça o meio-campista, que tem se sentido à vontade com a camisa alvinegra.

“Estou muito feliz na Ponte. Meu intuito é renovar e ficar bastante tempo aqui. Já tivemos conversas e tudo isso é devido ao trabalho de todos meus companheiros. Sem eles não estaria vivendo esse bom momento pessoal e na minha carreira. Só tenho a agradecer aos meus companheiros, à comissão técnica e a diretoria que confiou em mim. Vim para fazer história, ajudar a Ponte e crescer como pessoa. Tudo isso coloquei como objetivo na minha cabeça no começo e está acontecendo. Espero dar continuidade da melhor forma possível”.

 

Kadu

 

O zagueiro Kadu passou por cirurgia no pé esquerdo nesse sábado (5). O coordenador do Departamento médico da Ponte Preta, Dr. Roberto Nishimura, explica o que foi feito com o atleta e o porque da necessidade dessa intervenção.

“O Kadu foi submetido a uma cirurgia no último sábado, por conta de uma inflamação no pé direito, na base do quinto metatarso. É uma inserção de um dos tendões do tornozelo. Tudo começou depois do período de recuperação do trauma que teve no joelho lá em Recife, no jogo contra o Santa Cruz. Ele teve uma lesão de certa forma grave no joelho esquerdo, tratamos por algumas semanas, já que teve uma lesão de cartilagem e foi resolvido. Mas no período de transição, até por defesa, ele sobrecarregou o pé direito e ficou com uma inflamação crônica. Ele vinha tendo dificuldade em manter o ritmo de treino. Não sentia mais o joelho, mas o pé sim”, conta Dr. Roberto, que acrescenta.

“Chegamos a cogitar tratamento com infiltração ondas de choque e conseguiu fazer períodos de treino. Mas a dor não cedia. Até por contar com ele para o ano que vem, dentro do nosso planejamento fizemos um procedimento cirúrgico, com uma abordagem nesse tendão e a programação é que em três semanas ele já consiga colocar o pé no chão. Vai inicia a fisioterapia semana que vem para que em Janeiro já esteja apto para a pré-temporada. Foi um modo de antecipar o tratamento, para não cronificar isso e não sofrer isso em 2017”, completa.

 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS